Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/15485
Título: Desenvolvimento de um instrumento multidimensional para avaliação de dor em crianças a partir de descritores observados em narrativas infantis
Autor(es): PEREIRA, Luciana Moraes Studart
Palavras-chave: Avaliação da dor; criança; narrativas; instrumento multidimensional; desenvolvimento cognitivo.
Data do documento: 24-Fev-2015
Editor: UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO
Resumo: A dor é uma experiência sensitiva e emocional desagradável relacionada à lesão real ou potencial dos tecidos. Por ser um fenômeno de difícil avaliação, é importante se buscar instrumentos que auxiliem a interpretação do processo doloroso pelo profissional de saúde, visto que o correto diagnóstico direcionará a terapêutica. No tocante às crianças, um desafio adicional passa a ser a adaptação dos instrumentos de avaliação à capacidade cognitiva e psicomotora dos pacientes. O objetivo desta tese foi desenvolver um instrumento multidimensional para avaliação de dor em crianças que se encontrem em estágio do desenvolvimento cognitivo anterior ao das operações formais, a partir de descritores observados em narrativas infantis. O estudo teve uma abordagem quanti-qualitativa e foi realizado em cinco fases. A primeira fase destinou-se à coleta da descrição de aspectos relativos à localização, intensidade e qualidade da dor em crianças e familiares, obtidas por meio de entrevista semiestruturada. Participaram dessa etapa 26 crianças, de ambos os sexos, com idades variando entre dois anos e cinco meses a doze anos e um mês, em tratamento oncológico e seus respectivos responsáveis, perfazendo o total de 52 participantes. Foi realizada análise de conteúdo para a identificação de descritores de dor presentes nas narrativas das crianças. Constatou-se que as palavras que qualificam a dor demonstraram grande semelhança com os descritores categorizados por McGill e que há utilização de reforços figurativos na comunicação oral como apoio para descrição da dor. Realizou-se, também, uma análise multidimensional (Similarity Structure Analysis [SSA]) e o método das variáveis externas como pontos. Os resultados revelaram dificuldades na descrição dos aspectos qualitativos da dor e divergências existentes entre crianças e seus responsáveis, no que se refere à descrição da dor e fatores interferentes como a idade, sexo, ocorrência, frequência e nota da dor. Observou-se, ainda, que o contexto em que vivem as crianças, relacionado à presença de dor em familiares parece exercer peso nas respostas à dor e que há correlacão entre dor na realização de exames com a histórico de internações. A segunda fase investigou a representação gráfica dos descritores de dor. Participaram 40 crianças, com idade média de onze anos e dois meses de uma escola de ensino fundamental. A coleta foi realizada seguindo uma adaptação do Procedimento de Classificações Múltiplas (PCM) e buscou colher as representações das crianças sobre os descritores de dor. Os resultados foram organizados em quadros de frequência e analisados descritivamente. Selecionou-se três ―ideias gráficas‖ mais frequentes para cada um dos 24 descritores de dor. A terceira fase tratou da confecção dos Cartões de Dor. Foram realizadas buscas por figuras na internet que mais se assemelhassem aos desenhos e descrição das crianças da fase anterior. Confeccionou-se 120 cartões, sendo 78 representantes das ―ideias gráficas‖ mais frequentes e 48 de imagens aleatórias. A quarta fase tratou da apresentação dos cartões a 34 crianças, com idades variando entre quatro anos e cinco meses e sete anos e quatro meses, que realizaram o julgamento dos cartões. A análise dos dados foi realizada por meio de análise de frequência e os resultados indicaram alta significância para os cartões de dor selecionados para a maioria dos descritores, com exceção de: ―esmagamento‖, ―que incomoda‖ e ―insuportável‖. A quinta fase destinou-se à apresentação do Instrumento Multidimensional para Avaliação da Dor em Crianças Pequenas (IMADCP) e a proposta de aplicação. Conclui-se que o instrumento desenvolvido permite a avaliação de quatro componentes da dor: localização, intensidade, frequência e qualidade e, apresenta, como inovação, os Cartões de Dor, elaborados a partir da narrativa de crianças, para avaliação do componente qualitativo, propiciando a representação gráfica dos descritores de dor.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/15485
Aparece na(s) coleção(ções):Teses de Doutorado - Saúde da Criança e do Adolescente

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TESE Luciana Moraes Studart Pereira.pdf6,18 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons