Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/15046
Título: Riscos ergonômicos nas atividades de manutenção industrial em espaços confinados
Autor(es): ARAUJO, Gilmar Agostinho de
Palavras-chave: Ergonomia; Indústrias; Avaliação de riscos; Doenças profissionais; Fábricas – manutenção
Data do documento: 26-Fev-2015
Editor: UNIVERSIDADE FEDERAL DEPERNAMBUCO
Resumo: A partir do desenvolvimento de procedimentos de segurança, das Normas Regulamentadoras expedidas pelo Ministério do Trabalho e Emprego, de tecnologias da informação, de instrumentos de medição e da formação de profissionais habilitados, torna-se possível uma melhor avaliação das condições adversas presentes nos espaços confinados. Os espaços confinados são ambientes os quais não foram projetados à ocupação humana, mas que, periodicamente, faz-se necessária a intervenção nestes locais. Muitos dos espaços confinados são lugares hostis, quer pela sua arquitetura, quer pela presença de agentes químicos ou microbiológicos que tornam as atividades de manutenção complexa e perigosa. O presente trabalho de pesquisa se justifica pela necessidade de avaliar as condições ergonômicas adversas nos espaços confinados, não apenas presentes no setor industrial, mas em todas as atividades humana. Nossa abordagem será centralizada no setor industrial, especificamente na indústria química, a qual requer cuidados específicos nas avaliação e monitoramentos dos espaços confinados. A presença de equipamentos, tais como secadores, silos, tanques, reatores, transportadores, poços e etc., são comuns ao processo produtivo e, indispensavelmente, sofrem intervenções para manutenção. Assim o presente trabalho de pesquisa terá como objetivo fazer uma abordagem das condições de riscos existentes em trabalhos realizados nestes equipamentos. As informações coletadas se deram através de método de abordagem in loco, via inspeção das atividades no momento em que as intervenções estavam sendo realizadas. Após esta avaliação, foi possível identificar os pontos falhos do processo de entrada em espaço confinado e padronizar a metodologia de autorização da entrada em espaços confinados. O sistema dirigido à visualização das condições adversas permitiu essa difusão para qualquer tipo de usuário, desde que tenha uma formação prévia: perceber a importância da questão da análise preliminar das condições ambientais dos espaços confinados. Para desenvolver este trabalho científico, foi realizado um estudo mais aprofundado na Norma Regulamentadora – NR 33: Segurança e Saúde nos Trabalhos em Espaços Confinados, na Norma Regulamentadora – NR 17: Ergonomia, na NBR 14787 - Espaço confinado de 2001, na Occupational Safety & Health Administration - OSHA - U.S. Department of Labor, e na Safe Work Australia Confined space: Code of Practice de 2014. Nessa abordagem veremos as condições de riscos existentes em trabalhos realizados em espaços confinados, especificamente na área de présecagem da unidade de produção de um agente sanitizante, com vistas a reforçar os conceitos de prevenção de acidentes existentes na cultura da empresa. As informações coletadas se deram através de método de abordagem in loco via inspeção das atividades no momento em que as intervenções estavam sendo realizadas. Após esta avaliação, foi possível identificar os pontos falhos do processo de entrada em espaço confinado e padronizar a metodologia de autorização da entrada em espaços confinados.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/15046
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Ergonomia

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Gilmar Agostinho de Araújo - Dissertação Rvisão 5.pdf2,29 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons