Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/1498
Título: Perfil lipídico e correlação entre concentração e atividade De Lecitina: colesterol aciltransferase (LCAT) em plasma De pacientes com esquistossomose mansônica Hepatointestinal e hepatoesplênica
Autor(es): MACIEL, Giselle Rabelo
Palavras-chave: atividade LCAT; concentração LCAT; perfil lipídico; Esquistossomose mansônica
Data do documento: 31-Jan-2009
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Rabelo Maciel, Giselle; Lúcia de Menezes lima, Vera. Perfil lipídico e correlação entre concentração e atividade De Lecitina: colesterol aciltransferase (LCAT) em plasma De pacientes com esquistossomose mansônica Hepatointestinal e hepatoesplênica. 2009. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Bioquímica e Fisiologia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2009.
Resumo: A esquistossomose mansônica, doença causada pelo helminto Schistosoma mansoni afeta cerca de 200 milhões de pessoas em todo o mundo. Decorrente da deposição de ovos do parasita no fígado, a doença pode evoluir da forma mais leve, hepatointestinal (HI), para a mais grave, hepatoesplênica (HEC). Estudos anteriores demonstram uma relação entre o metabolismo lipídico e a forma hepatoesplênica da parasitose, tais como: diminuição dos níveis plasmático de colesterol total, colesterol esterificado e triglicerídeos, aumento dos níveis de fosfolipídeos em pacientes e em primatas não humanos da espécie Callithrix jacchus e alterações na atividade da lecitina: colesterol aciltransferase (LCAT). A LCAT, enzima esterificante do colesterol, é uma glicoproteína sintetizada pelo fígado e exerce importante papel no metabolismo das lipoproteínas plasmática, especialmente na síntese e maturação das HDL circulantes. Neste trabalho, foi avaliada a concentração plasmática e a atividade da LCAT, bem como o perfil lipídico dos pacientes portadores da esquistossomose mansônica nas fases HI e HEC. Os resultados demonstram, em comparação aos indivíduos saudáveis, uma redução significativa nos níveis de colesterol total, colesterol HDL e colesterol éster, bem como na atividade e na concentração da LCAT em pacientes na fase mais crítica da doença. Esta diminuição da atividade catalítica da enzima pode estar associada à redução na síntese e/ou secreção da enzima, uma vez que a LCAT é produzida no fígado, o qual é bastante afetado na esquistossomose. Os resultados sugerem uma correlação direta entre a concentração da enzima LCAT e sua atividade
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/1498
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Bioquímica e Fisiologia

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
grm.pdf1,86 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.