Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/14965
Título: Caracterização física e biológica da Zona Hiporreica na interação rio- aquífero no Rio Beberibe - Pernambuco
Autor(es): ALBUQUERQUE, Tatiane Barbosa Veras de
Palavras-chave: Zona Hiporreica; Interação Água superficial e Água subterrânea; Meiofauna; Filtração em Margem; Sedimentos Hiporreicos
Data do documento: 27-Nov-2015
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: O abastecimento de água além de ser realizado por águas superficiais também pode ser obtido pelas águas subterrâneas, onde não se pode esquecer que existe uma interação entre elas de grande potencial na gestão sustentável dos recursos hídricos. Dentro da perspectiva dessa interação, surge a técnica de Filtração em Margem (FM) como um método de tratamento de água alternativo e de baixo custo. Vários processos ocorrem durante a FM, onde esses dependem direta ou indiretamente da zona hiporreica que é uma região de intercâmbio entre o curso de água superficial e subterrâneo, onde ocorre um conjunto de reações importantes. Sendo assim, o sucesso da técnica de Filtração em Margem, entre outras coisas, depende das características do ambiente hiporreico que é responsável pela sustentabilidade do abastecimento de água através dessa tecnologia. A presente pesquisa teve o intuito de caracterizar os aspectos físicos e biológicos da zona hiporreica num trecho do rio Beberibe, Olinda - PE, onde existe um projeto piloto de Filtração em Margem com 4 poços rasos de produção e sete poços de observação. Em relação ao potencial da Filtração em Margem foi realizado um monitoramento qualitativo através de análises físico-químicas e bacteriológicas, onde foi possível observar uma melhora significativa na qualidade da água após submetida a FM. A interação rio-aquífero foi analisada através da correlação da lâmina d'água do rio Beberibe, da precipitação do local e dos níveis piezométricos dos poços de produção e dos poços de observação. A partir dos resultados, ficou evidente que existe uma conexão hidráulica entre os poços rasos e o rio Beberibe, caracterizando interação rio-aquífero. A caracterização biológica foi realizada através da quantificação e identificação da distribuição vertical da meiofauna bentônica presente nos sedimentos hiporreicos. A meiofauna esteve composta por um total de 7804 indivíduos, distribuídos em oito taxa, onde 96% dos organismos foram representados pelos rotíferas, nemátodas e anelídeos. A caracterização física da zona hiporreica consistiu em ensaios granulométricos dos sedimentos do ambiente hiporreico, onde o material representativo da superfície do leito apresentou certa homogeneização predominantemente arenosa. Além disso, foi avaliada a capacidade de transporte de volumes hídricos entre o rio e o aquífero através de ensaios de infiltração e leituras da diferença da carga hidráulica, onde observou-se que o rio Beberibe no seu curso médio, contribui para a recarga do lençol freático, com exceção de alguns dias que o fluxo no leito do rio apresentou ascendência após longos períodos de chuva. A taxa média de infiltração nos ensaios realizados foi de 0,013 mm/s. Observou-se, ainda, que a distribuição granulométrica dos sedimentos influenciam as taxas de escoamento vertical e a condutividade hidráulica da zona hiporreica.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/14965
Aparece na(s) coleção(ções):Teses de Doutorado - Engenharia Civil

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
VERAS_TESE_2015.pdf4,78 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons