Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/14947
Título: Um Estudo sobre a Distribuição Espacial dos Médicos no Brasil
Autor(es): Pinto, Pablo Aurélio Lacerda de Almeida
Palavras-chave: Igualdade – Aspectos da saúde; Acesso aos serviços de saúde; Cuidados médicos – Avaliação das necessidades
Data do documento: 12-Mar-2015
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: Esta pesquisa tem o propósito de investigar a distribuição espacial dos médicos no Brasil. Podemos destacar algumas importantes razões pelas quais a comunidade deve se preocupar com a distribuição espacial dos médicos. Na maioria dos países, os serviços de saúde são considerados um bem meritório, ou seja, existe uma questão de equidade e justiça social, principalmente em países onde o acesso à saúde é um direito constitucional e a atuação do setor público na provisão de serviços de saúde é ampla, como no caso do Brasil. Em segundo lugar, há uma estreita relação entre o acesso aos serviços médicos e o status de saúde de uma comunidade. Desta forma, compreender a dinâmica da localização dos médicos tornar-se fundamental para a elaboração de políticas de distribuição dos serviços de saúde. Apontamos algumas evidências empíricas da desigualdade na distribuição espacial dos médicos no Brasil, sendo apresentados fatores que interferem na distribuição dos médicos. Dentre os fatores que serão descritos, pode-se destacar: aspectos demográficos e disponibilidade de médicos, distribuição geográfica dos serviços de saúde, e concentração das escolas de medicina. Por meio dessa análise é possível concluir que a distribuição espacial dos médicos é fortemente influenciada pelos fatores expostos. A forte concentração geográfica dos profissionais e dos serviços impede a concretização dos princípios que regem o Sistema Único de Saúde (SUS), particularmente no que se refere à universalização, à integralidade e à própria descentralização. No quarto capítulo a dinâmica da distribuição espacial dos médicos foi analisada a partir das Cadeias Espaciais de Markov que visa investigar o efeito da boa e da má vizinhança no indicador do número de médicos por mil habitantes, os resultados indicam que a vizinhança afeta o indicador, constatando-se que o efeito da boa vizinhança em estimular o crescimento do indicador é maior do que o efeito da má vizinhança em retraí-lo. O quinto capítulo apresenta uma análise econômica da distribução espacial dos médicos no Brasil, procurando avaliar os principais fatores determinantes da aglomeração da atividade médica. Utilizamos dados sobre o número de médicos em cada município brasileiro do Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES) de 2010. A partir do instrumental da econometria espacial, temos indicações de que o tamanho da população de um município, a sua renda per capita, a infraestrutura para a prática médica e a presença de faculdades de medicina são importantes fatores explicativos da concentração de médicos nos 6 municípios. Estes resultados são consistentes tanto para o modelo de médicos especialistas quanto para o modelo de clínicos gerais. Conclui-se que as economias espaciais influenciam significativamente a distribuição espacial dos médicos.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/14947
Aparece na(s) coleção(ções):Teses de Doutorado - Economia

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Tese Versão Final Pablo.pdf2,14 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons