Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/14038
Título: O processo criativo de crianças iniciantes em atividades de musicalização: uma perspectiva sócio-histórica
Autor(es): Melo, Airma Farias de Araújo
Palavras-chave: Processo criativo; musicalização; significação sonora; psicologia sócio histórica
Data do documento: 24-Fev-2014
Resumo: A música, como forma de linguagem, é uma característica humana que está presente na vida do ser humano e, por isso, influencia no desenvolvimento cognitivo, social, emocional e afetivo de muitos que com ela entram se relacionam. Ao entrarem em contato com o mundo sonoro, as crianças reconhecem diversos sons e são capazes de reproduzi-los e reinventá-los. Isso é possível porque o ser humano é capaz de imaginar, criar, dar novos sentidos às suas experiências. Segundo a perspectiva sócio-histórica de Vygotsky, assumida neste trabalho, toda atividade humana geradora de algo novo é um ato criativo e a imaginação criadora é um processo que transforma culturalmente a realidade. Como a imaginação criadora está presente na vida do ser humano desde cedo e ela se dá nas mais variadas vivências culturais, é possível afirmar que as atividades musicais são um momento oportuno para verificar a manifestação da ação criativa das crianças e analisar os fatores que interferem nessa ação. Com base nesses pressupostos, foram traçados objetivos que delinearam a estruturação teórico-metodológica desta pesquisa. Assim, teve-se por objetivo geral compreender o processo criativo de crianças da educação infantil, iniciantes em atividades de musicalização, envolvendo reconhecimento, identificação e representação de elementos do som a partir de diversas produções sonoras. Os objetivos específicos foram: (i) verificar a capacidade de crianças da educação infantil para reconhecer, identificar e reproduzir sonoridades apropriadas às atividades propostas em cada encontro; (ii) identificar elementos da bagagem cultural das crianças em suas representações de alguns componentes da música; (iii) compreender de que maneira as crianças (re)organizam seu conhecimento de alguns componentes musicais enquanto reproduzem sonoridades; (iv) averiguar as possíveis relações que os sons produzidos pelas crianças têm com movimentos realizados durante a produção dos sons. Os participantes desta pesquisa foram alunos da Educação Infantil de uma escola regular. Foram realizados cinco encontros, com registro videográfico, nos quais foram desenvolvidas atividades de musicalização adequadas à idade das crianças participantes da pesquisa. Foi feita uma análise da dinâmica do processo de desenvolvimento do fenômeno estudado (processo criativo) para se evidenciar sua natureza e conhecer suas estratégias e, para isso, foi tomada como unidade de análise os sons e movimentos realizados pelas crianças no momento em que elas foram solicitadas a improvisarem um som para determinadas situações apresentadas nas diversas atividades realizadas. Verificou-se que as crianças relacionam sua bagagem cultural com sua imaginação criativa para gerarem novos produtos materiais ou subjetivos e seu potencial criativo, permitiu-lhes se apropriarem de conhecimentos musicais com os quais ainda não haviam entrado em contato sistemático. Por fim, a presente pesquisa demonstrou também que as salas de educação infantil podem ser o ambiente social apropriado e mais abrangente para a democratização dos conhecimentos musicais aqui apresentados.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/14038
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Psicologia Cognitiva

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação versão final BC.pdf1,93 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons