Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/13942
Título: Atividade física voluntária e dieta hipoproteica materna:efeito sobre a atividade locomotora em filhotes de ratos
Autor(es): MOURA, Jéssica Priscila Fragoso de
Palavras-chave: Plasticidade; Gestação; Nutrição; Locomoção; Prole
Data do documento: 27-Fev-2015
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito da atividade física voluntária materna sobre alguns parâmetros da atividade locomotora em filhotes de ratas que receberam dieta hipoproteica nos períodos de gestação e lactação. Ratas da linhagem Wistar (n=29) foram alojadas individualmente em gaiolas de atividade física voluntária, contendo roda de corrida. Nessas gaiolas foram acoplados ciclocomputadores que permitiram o registro da distância percorrida, estimativa do gasto calórico e tempo de atividade. As ratas passaram por um período de adaptação (30 dias), recebendo neste período dieta AIN-93M. Posteriormente, foram classificadas de acordo com o nível diário de atividade física em: Inativas (n=15) e Muito Ativas (n=14). Um grupo de ratas (n=8) foi adicionado ao estudo no qual permaneceu durante todo o experimento em gaiola padrão de biotério, sem acesso a roda de corrida, sendo considerado nosso Grupo Controle. Após detecção da prenhez, metade de cada grupo recebeu dieta normoproteica (18% proteína) e a outra metade recebeu dieta hipoproteica (8% proteína) durante todo o período de gestação e lactação. No desmame (aos 22 dias de vida), foram escolhidos aleatoriamente 3-4 filhotes machos de cada grupo experimental para avaliação de alguns parâmetros da atividade locomotora. As avaliações foram realizadas no 23º, 45º e 60º dia de vida, num campo aberto, no qual os animais foram filmados por 5 minutos. Foram avaliados os seguintes parâmetros: Distância percorrida, deslocamento rotacional, velocidade média, potência média, energia total, tempo de imobilidade, número de paradas, relação entre tempo de imobilidade/número de paradas e tempo de permanência nas áreas do campo. Nossos resultados demonstraram que filhotes de mães submetidas à dieta hipoproteica durante os períodos de gestação e lactação, apresentaram alteração na trajetória de todos os parâmetros de atividade locomotora avaliados. Além disso, apresentaram maior distância percorrida e consequentemente menor tempo de imobilidade, aos 60 dias de vida. Filhotes de mães que realizaram atividade física voluntária antes e durante a gestação apresentaram aumento da distância percorrida e menor tempo de imobilidade. Contudo, filhotes de mães que receberam dieta hipoproteica e realizaram atividade física apresentaram menor distância percorrida em relação aos filhotes de mães muito ativas nutridas, normalizando este parâmetro. Dessa forma, a prática de atividade física materna foi capaz de atenuar os efeitos da dieta hipoproteica. Assim, podemos concluir que estímulos maternos, como a dieta e a atividade física, podem modular a atividade locomotora dos filhotes, devido ao fenômeno biológico “Plasticidade Fenotípica” que permite ao organismo a capacidade de adaptação em resposta ao meio.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/13942
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Nutrição

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação _ Jéssica Fragoso.pdf1,48 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons