Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/13919
Título: Estimativa do estoque de biomassa arbustivo arbórea por sensoriamento remoto em áreas de caatinga em Pernambuco
Autor(es): NASCIMENTO, Diego Marcelino do
Palavras-chave: fitomassa; geoprocessamento; geotecnologia
Data do documento: 13-Fev-2015
Resumo: A quantificação do estoque de biomassa vegetal ainda é um desafio em áreas extensas, sobretudo semiáridas. Foram quantificados os estoques de biomassa em áreas de Caatinga em Pernambuco por sensoriamento remoto. Duas cenas do satélite RESOURCESAT 1/LISS III (Lat. -7,55 a -9,08; Long.-38,43 a -36,36) foram usadas para a vetorização de áreas de Caatinga densa e aberta e a criação de três imagens de índices de vegetação (NDVI, SAVI e RS). Foram alocadas 80 parcelas georreferenciadas de 400 m2 para a estimativa das biomassas no campo por alometria. Modelos de regressão entre estas biomassas e cada índice de vegetação foram desenvolvidos. Considerando-se soma e média de quadrados do resíduo, valores de p, coeficiente de determinação e critério de informação de Akaike, o melhor modelo foi com o NDVI. A equação foi usada para estimar a biomassa da vegetação em 68 municípios do Agreste e do Sertão Pernambucano. A área de vegetação nativa arbórea e arbustiva ocupava 64,5% do total imageado, sendo 36% de Caatinga densa e 28% de Caatinga aberta. A maior parte da área (80%) teve biomassa entre 23 e 50 Mg ha-1, com erro relativo de 17%. Os erros foram maiores nas áreas com biomassas superiores a 50 Mg ha-1, parte delas de matas serranas.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/13919
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Tecnologias Energéticas e Nucleares

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISSERTACAO_DIEGO_MARCELINO_NASCIMENTO.pdf39,49 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons