Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/13915
Título: Função diastólica do Ventrículo esquerdo na presença da Diabetes Mellitus gestacional
Autor(es): Vasconcellos, Henrique Dória de
Palavras-chave: Cardiomiopatia; Diabetes Mellitus Gestacional; Diástole; Doppler; Peptídeo Natriurético Cerebral
Data do documento: 28-Ago-2009
Resumo: Esta dissertação de mestrado é composta por dois artigos, sendo o primeiro uma revisão sobre a função diastólica do Ventrículo Esquerdo (VE) na presença da Diabetes Mellitus Gestacional (DMG). Já o segundo é um artigo original que versa sobre a avaliação da função diastólica de pacientes com DMG através da ecodopplercardiografia. Para o artigo de revisão, realizou-se uma busca nas bases de dados eletrônicas Lilacs, Medline, Cochrane e Scielo, considerando o período de 2000 a 2009. Os seguintes descritores foram utilizados: cardiomiopatia, diabetes, diástole, doppler, peptídeo natriurético cerebral e diabetes mellitus gestacional. Além disso, as referências dos artigos encontrados também foram revisadas. O artigo original é uma série de casos, tendo como base a população ambulatorial de gestantes atendidas no Hospital Dom Malan, em Petrolina/PE. Foram avaliadas aleatoriamente 50 gestantes, 30 sem DMG (Grupo I) e 20 com DMG (Grupo II), através da história clínica, do exame físico cardiológico completo, da eletrocardiografia (ECG) e da análise ecodopplercardiográfica (ECO). Não houve diferença entre os grupos em relação aos parâmetros clínicos, com exceção do peso, que foi maior no Grupo II (76,8 ± 11), em comparação ao Grupo I (70,1 ± 10) (p=0,034). Quanto aos parâmetros do ECO, houve diferença na dimensão do AE (Grupo I 36,1 ± 2,8 e Grupo II 38,5 ± 2,6 - p=0,004), no Triv (Grupo I 81,0 ± 11,4 e Grupo II 89,1 ± 10,2 - p=0,03) e na velocidade da onda A lateral (Grupo I 58,4 ± 8,2 e Grupo II 63,6 ± 10,5 - p=0,05). Quando se avaliou a função diastólica do VE, utilizando os parâmetros do ECO em conjunto, apesar de não haver diferença estatística significante entre os grupos, houve uma maior proporção da disfunção diastólica nos pacientes com DMG, sugerindo uma possível CMP diabética incipiente neste grupo.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/13915
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Ciências da Saúde

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação de Mestrado Henrique Doria Vasconcellos.pdf1,38 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons