Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/13407
Título: Influência do sulfato de condroitina e da lectina de semente de Cratylia mollis (Cramoll, 1,4) em relação à crioterapia e ultrassom terapêutico sobre lesão em cartilagem do joelho de coelhos
Autor(es): Veiga, Paulo Henrique Altran
Palavras-chave: Lectina; Cramoll 1,4; Crioterapia; Ultra-som terapêutico; Osteoartrose; Joelho
Data do documento: Ago-2012
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: Esta pesquisa visou avaliar a influência de um medicamento comercial (condroton®), cujo componente ativo é o sulfato de condroitina e da lectina de semente de Cratylia mollis (Cramoll 1,4) associados à crioterapia e ultrassom terapêutico, em lesão de cartilagem do joelho de coelhos. O extrato da semente de C. mollis 10% (p/v) foi preparado em NaCl 0,15 M, fracionado com sulfato de amônio (40-60% de saturação). A fração obtida (F40- 60) foi submetida a cromatografia de afinidade em Sephadex G-75. Cramoll 1,4 foi obtida por eluição bioseletiva com D-glicose 0,3 M em NaCl 0,15 M, dialisada contra NaCl 0,15 M durante 24 h, e liofilizada. O estudo foi realizado através da análise das comunidades celulares (média de 250 células/indivíduo), obtidas nos estudos histológicos. Foram utilizados 18 coelhos machos da raça Califórnia, albinos, pesando entre 2,5 a 3,5 Kg, correspondendo de dois a três meses de idade (Masoud et al., 1986), totalizando uma média de 4500 células analisadas. Foi realizada lesão na cartilagem, simulando osteoartrose nos joelhos dos coelhos, e posteriormente, os animais foram divididos em nove grupos (2 indivíduos/grupo) de tratamento. Grupo controle (GC) com nenhum procedimento terapêutico; Grupo submetido à aplicação de gelo (GG); Grupo submetido à terapia com ultrassom terapêutico tipo pulsado, marca KLD Avatar II®, com freqüência de 1 MHz, intensidade de 535 mW/cm2 (0,5W/cm2), pulso de 2:8 e previamente calibrado (GU); Grupo que recebeu injeção intra muscular de condroton® (GSC); Grupo que recebeu Cramoll 1,4 (GCramoll); Grupo submetido à aplicação de gelo e injeção de condroton® (GGSG); Grupo submetido a terapia com ultrassom e condroton® (GUSG); Grupo submetido à aplicação de gelo e Cramoll 1,4 (GGCramoll) e, Grupo submetido a terapia com ultrassom e Cramoll 1,4 (GUCramoll). Os resultados obtidos demonstraram que, quando comparadas a utilização do ultrassom terapêutico com condroton® (p=0,0251*); e ultrassom terapêutico com Cramol 1,4 (p=0,0414*), houve aumento da área do sulfato de condroitina em ambos os grupos, porém, este aumento foi maior no grupo tratado com Cramoll 1,4. A utilização de crioterapia concomitante ao uso de condroton® ou Cramol 1,4, não demonstrou diferenças no estudo, quando comparados os efeitos do tratamento entre 60 e 90 dias. A utilização de Cramol 1,4 aumentou a área do sulfato de condroitina (p=0,0001*), na osteoartrose da cartilagem do joelho de coelhos em 60 e 90 dias de tratamento, em comparação com o grupo controle. Observou-se também, aumento da área do colágeno com a utilização do condroton® com 60 dias de tratamento, (p=0,0001*), porém, diminuindo sua área no período de 90 dias. Desta forma os autores concluiram que o ultrassom terapêutico e a Cratylia mollis 1,4 tem efeitos positivos sobre a osteoartose induzida experimentalmente nos coelhos.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/13407
Aparece na(s) coleção(ções):Teses de Doutorado - Ciências Biológicas

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TESE DOUTORADO ARQUIVO UNICO PARA BIBLIOTECA (1.pdf1,39 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons