Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/13406
Título: Lectinas de Cratylia mollis como ferramentas e biomarcadores no diagnóstico do câncer de próstata e colo uterino
Autor(es): LIMA, Amanda Lucena Rosendo de
Palavras-chave: Cramoll 1,4; Cramoll 3; Histoquímica
Data do documento: 31-Jan-2013
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: Lectinas constituem um largo grupo de proteínas ou glicoproteínas que compartilham a propriedade de reconhecer e interagir com glicanos, os quais estão envolvidos nos processos de desenvolvimento e diferenciação celular de neoplasias. O câncer de próstata (CaP) e de colo uterino são tumores malignos de alta incidência em homens e mulheres, respectivamente, e por isso têm sido alvo de inúmeras pesquisas científicas. O objetivo do nosso trabalho foi investigar a capacidade das lectinas de sementes de Cratylia mollis interagirem com o glicocódigo tecidual e sérico de pacientes com patologias prostáticas e de colo uterino. Para o conhecimento da identidade sacarídica dos glicoconjugados celulares foi utilizada a histoquímica com lectinas, as quais conjugadas à peroxidase foram aplicadas em cortes de biópsias de próstata e colo uterino. Para purificação e caracterização parcial de glicoproteínas dos soros de pacientes com alterações prostáticas e indivíduos sadios, a cromatografia de afinidade com Cramoll-1,4 imobilizada e SDS-PAGE foram utilizadas. A histoquímica mostrou que as lectinas de C. mollis ligam-se diferentemente aos glicoconjugados expostos pelas células prostáticas (normal, hiperplasia benigna prostática e câncer de próstata) e do colo do útero (normal, neoplasia intra-epitelial cervical III e carcinoma celular escamoso). Através da cromatografia de afinidade com Cramoll-1,4 imobilizada, os soros de indivíduos normais, com hiperplasia benigna prostática e em diferentes estágios do CaP apresentaram expressão diferencial de glicoproteínas. Os resultados obtidos sugerem que as lectinas de Cratyia mollis são efetivos biomarcadores histoquímicos dos processos de diferenciação celular anormal nos tecidos prostáticos e cervicais uterinos. Essas lectinas também mostraram ser ferramentas para identificar o padrão de expressão de glicoproteínas durante os processos de desenvolvimento patológico prostático.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/13406
Aparece na(s) coleção(ções):Teses de Doutorado - Ciências Biológicas

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Tese Doutorado Amanda Lucena Rosendo de Lima.pdf2,96 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons