Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/13371
Título: O desamparo do verbo: Clarice Lispector e Hilda Hilst – Salmódicas
Autor(es): MENDONÇA, Fernando
Palavras-chave: Literatura Comparada; Teopoética; Clarice Lispector; Hilda Hilst; Bíblia Sagrada – Salmos
Data do documento: 31-Jan-2014
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: Dentre os diversos aspectos que aproximam a literatura de Clarice Lispector e Hilda Hilst numa afinidade evidenciada pela experimentação formal, este trabalho dedica ao núcleo de sua análise comparativa, uma abordagem sobre o Desamparo que ambas as escritoras revelam nutrir em relação a Deus. A partir de uma leitura pautada pelos princípios da Teopoética, ramo de estudos teóricos que aproxima a Literatura e a Teologia de maneira sistemática, serão exploradas as interseções entre duas obras de reconhecida maturidade na trajetória das autoras brasileiras: A Paixão Segundo G. H. (1964) e A Obscena Senhora D (1982). Para esta aproximação, será utilizada como estrutura central a categoria teológica do Mysterium Tremendum, definida por Rudolf Otto no início do séc. XX. Nas reflexões conceituais que este autor dedica ao Sagrado, verifica-se o encadeamento de quatro níveis que servirão de eixo para o diálogo entre os romances aqui estudados, a saber: o Tremendum, primeiro sinal de contato entre o humano e o divino, onde se pode incluir uma interpretação estética sobre o Grotesco, ainda mais considerando o caráter deste recurso em Clarice (que narra o encontro de uma mulher e uma barata) e Hilda (que dá voz a uma mulher enlouquecida diante de uma porca); o Majestas, nível aprofundado da manifestação divina em que se observa uma predominância da alteridade Sublime e avassaladora, inalcançável pela humanidade; a Orgé, onde se possibilita um movimento de reação humana potencialmente associável à criação poética, pela relação de empenho contra o mundo e a carne e pelo enfrentamento que a letra ficcional oferta no gesto criador; e, finalmente, a categoria do Mysterium, em que se conclui um distanciamento intransponível entre o humano e o divino e, consequentemente, dá origem ao sentimento do Desamparo. Para completar o exercício comparativo então proposto, a leitura dos romances incluirá sua aproximação ao imaginário bíblico, especificamente, ao que evocam da poesia hebraica localizada nos Salmos. Diante da interpretação feita por G. H. da crucificação cristã, assim como da repetição surgida na Senhora D das últimas palavras de Cristo (Eli, Eli, Lama Sabactani – Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?), será analisada a perspectiva profética destas literaturas, que respondem ao clamor primeiramente registrado pelo Rei Davi, no Salmo 22. Diante de todas estas relações, busca-se averiguar como a reflexão sobre o divino é atualizada dentro de uma concepção moderna, alargando a falta sofrida pelo Desamparo, também sentida em diversos âmbitos de expressão humana.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/13371
Aparece na(s) coleção(ções):Teses de Doutorado - Teoria da Literatura

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TESE Fernando de Mendonça.pdf1,19 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons