Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/13317
Título: Fungos endofíticos de Hancornia speciosa gomes: identificação e atividade antimicrobiana
Autor(es): Chagas, Mardonny Bruno de Oliveira
Palavras-chave: Atividade antimicrobiana; Fungos endofíticos; Hancornia speciosa
Data do documento: 31-Jan-2013
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: Entre os micro-organismos endofíticos, os fungos têm despertado o interesse da comunidade científica especialmente por seu potencial na produção de metabólitos de interesse econômico, incluindo os relacionados às plantas hospedeiras. Hancornia speciosa Gomes, conhecida como mangabeira, é uma espécie frutífera da família Apocynaceae bastante utilizada na medicina popular para diversos fins. Este trabalho teve como objetivo contribuir no conhecimento da micobiota endofítica associada a H. speciosa e avaliar o potencial antimicrobiano destes micro-organismos. Os fungos endofíticos foram isolados da casca do caule de H. speciosa em diferentes períodos do ano. Foram isolados 116 fungos endofíticos pertencentes a 14 espécies, sendo Phoma cava a espécie mais frequente (13,8%), seguida de Colletotrichum gloeosporioides (12,1%) e Lasiodiplodia theobromae (11,2%). Todos os isolados foram submetidos ao ensaio antimicrobiano em meio sólido com bloco de ágar. Os micro-organismos teste utilizados foram Staphylococcus aureus - UFPEDA - 02, Bacillus subtilis - UFPEDA - 86, Escherichia coli - UFPEDA - 224, Klebsiella pneumoniae - UFPEDA - 396, Pseudomonas aeruginosa - UFPEDA - 416, Proteus mirabilis - UFPEDA - 767, Candida albicans URM - 5825, Candida krusei UFPEDA - 1002, Candida tropicalis URM - 5871 e Malassezia furfur URM - 4220. No total, 39 dos 116 fungos endofíticos apresentaram atividade antimicrobiana frente a, no mínimo, um micro-organismo teste com as médias dos halos de inibição variando de 11 a 39 mm de diâmetro. Após a triagem antimicrobiana, os isolados Aspergillus flavus (FHS012), A. flavus (FHS018), Aspergillus niger (FHS058), A. niger (FHS059), A. niger (FHS061), Fusarium solani (FHS105), F. solani (FHS106), Lasiodiplodia theobromae (FHS070), L. theobromae (FHS074) e Penicillium fellutanum (FHS089) apresentaram os melhores resultados entre todos e seguiram para o cultivo em meio semi-sólido de arroz e milho por 21 dias. Após este período, foram obtidos os extratos metanólicos brutos dos fungos endofíticos e determinadas as concentrações mínimas inibitória (CMI) e bactericida/fungicida (CMB/CMF) através do método de microdiluição em caldo. As CMI’s variaram entre 19 e 2.500 μg/mL-1 e as CMB’s / CMF’s entre 312 e >5.000 μg/mL-1. Esses resultados demonstram o grande potencial antimicrobiano dos fungos endofíticos desta planta medicinal. Em pesquisas futuras poderão ser identificados compostos bioativos, provavelmente derivados da complexa interação endofítico/hospedeiro, como sua utilização no desenvolvimento de novas drogas.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/13317
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Ciências Biológicas

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação Mardonny Chagas.pdf1,73 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons