Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/13275
Título: A transitividade nos Documentos Oficiais de Pernambuco
Autor(es): Silva, Maria Pereira da
Palavras-chave: Linguística; Sistêmico-Funcional; Transitividade; Manuscrito
Data do documento: 31-Jan-2014
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: Esta dissertação tem por objetivo analisar que papéis desempenham os Processos e os Participantes e como se organiza o Sistema de Transitividade nas cartas oficiais dos séculos XVIII e XIX: (i) da Ordem Régia, responsável pela expedição de documentos emitidos pelo rei; (ii) do Ministério da Marinha, responsável pelas correspondências do governo português; e (iii) do Correio Geral, responsável pela fiscalização e controle das gestões econômica e financeira dos correios provinciais. No que tange ao Sistema de Transitividade, à luz da Linguística Sistêmico-Funcional, trata-se de um fenômeno sintático-semântico que tem como núcleo gerador não apenas o verbo, mas também toda sentença oracional. A justificativa pela Linguística Sistêmico-Funcional dá-se pelo fato de buscar compreender como as escolhas léxico-gramaticais eram feitas para representar experiências de mundo. Também foi delineado o contexto de produção em que se inserem as cartas oficiais, selecionadas no APEJE – Arquivo Público Estadual Jordão Emerenciano, correspondendo a 39 manuscritos, catalogados em um recorte temporal de 1752 a 1840. O aporte teórico é pautado nos seguintes autores: Halliday (2004), Furtado da Cunha e Souza (2011), Souza (2006), Ribeiro (2009), Lima-Lopes e Ventura (2008), Gouveia (2008), Fuzer e Cabral (2010), Cortez (2010) e Ghio e Fernandes (2008). Diante dos dados quantitativos obtidos, partiu-se para a descrição dos Processos e dos Participantes envolvidos, que são componentes do Sistema de Transitividade. Os resultados mostram a predominância dos Processos Materiais (41,79%), que representam ações materializadas no mundo concreto, seguidos dos Processos Relacionais (36,50 %), que estabelecem conexão entre entidades, dos Processos Verbais (18,51%), que expressam o dizer e, por último, dos Processos Mentais (0,31%), que realizam ações ligadas ao plano sentimental, cognitivo e perceptivo.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/13275
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Linguística

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISSERTAÇÃO Maria Pereira da Silva.pdf8,2 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons