Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/13200
Title: Câncer na infância e adolescência: Caracterização epidemiológica a partir do relacionamento do registro de câncer de base populacional e do sistema de informação de mortalidade
Authors: AMADO, Cláudia Fell
Keywords: Câncer;Infância;Adolescência;Estatísticas vitais;Sistemas de Informação
Issue Date: 30-Aug-2013
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Abstract: O câncer infanto juvenil (zero a 19 anos) se constitui como um importante problema de saúde no Brasil, sendo responsável por 0,5- 3% do total de casos de câncer e mais de sete milhões de óbitos a cada ano. Os sistemas de informação em saúde e os Registros de Câncer documentam e analisam os padrões de ocorrência do câncer em crianças e adolescentes, de maneira que as ações de vigilância dessa doença possam ser orientadas a partir de informações desses sistemas. Sendo assim, este estudo objetiva descrever as características epidemiológicas do câncer na infância e adolescência a partir do relacionamento do Registro de Câncer de Base Populacional e do Sistema de Informação de Mortalidade da cidade do Recife. Tratou-se de um estudo descritivo de corte transversal, cuja população foi composta por crianças e adolescentes na faixa etária de zero a 19 anos completos, residentes na cidade do Recife, com diagnóstico ou causa de óbito a neoplasia. Foi realizado o relacionamento determinístico do Sistema de Informação de Mortalidade (2000-2007) e do Registro de Câncer de Base Populacional (1997- 2007). Foram calculadas as taxas de mortalidade e incidência brutas e ajustadas por idade, por sexo e faixa etária, taxa de sobrevida e a distribuição das variáveis sociodemográficas. A taxa de incidência ajustada foi de 156,4 por milhão. Dos 658 casos, as maiores taxas de incidência foram observadas na faixa etária de 15 a 19 anos (191,5 por milhão) no sexo feminino, com taxa ajustada de 167,5 por milhão. A taxa de vinculação entre os bancos de dados foi de 88,9%. As taxa de mortalidade ajustada por idade foi de 46,40 por milhão. Dos 176 óbitos, a faixa etária de 15 a 19 anos, correspondeu a uma taxa de 49,8 por milhão. O sexo masculino apresentou a maior taxa ajustada (37,7 por milhão). A taxa de sobrevida foi de 80% após cinco anos. O estudo mostrou a efetividade da técnica do relacionamento de banco de dados no estudo epidemiológico do câncer, podendo ser um potente instrumento utilizado pelo serviço de saúde do Recife como forma de monitorar, acompanhar e nortear as ações da Vigilância do Câncer na cidade.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/13200
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Saúde Coletiva

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTACAO CLÁUDIA FELL AMADO.pdf1.63 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons