Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/12967
Título: Síndrome metabólica e concentrações de apolipoproteínas a-i e b-100 em adolescentes com excesso de peso
Autor(es): BARRETO NETO, Augusto Cesar
Palavras-chave: Adolescente; Obesidade; Síndrome X Metabólica; Antropometria; Apolipoproteína A-I; Apolipoproteína B-100; Estudos Transversais
Data do documento: 31-Jan-2012
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: BARRETO NETO, Augusto Cesar. Síndrome metabólica e concentrações de apolipoproteínas A-I e B-100 em adolescentes com excesso de peso. Recife, 2012. 173 f. Tese (doutorado) - UFPE, Centro de Ciências da Saúde, Programa de Pós-graduação em Saúde da Criança e do Adolescente, 2012
Resumo: A Síndrome Metabólica (MetS) é uma desordem complexa representada por um conjunto de fatores de risco cardiovasculares, usualmente relacionados à deposição central de gordura. Existem importantes lacunas no que se refere ao grau da ocorrência da MetS em adolescentes, bem como sobre a contribuição de marcadores aterogênicos, a exemplo das apolipoproteínas A-I (APOA-I) e B100 (APOB-100) nessa síndrome. Este estudo tem como objetivos estimar as prevalência de excesso de peso e da MetS em adolescentes escolares, analisar e caracterizar as concentrações de apolipoproteínas A-I e B-100 em escolares com ou sem MetS. Foram desenvolvidos 2 estudos de corte transversal, sequenciais, envolvendo a mesma população de escolares de 10 a 19 anos de ambos os sexos, regularmente matriculados na rede pública e privada de ensino do município de Vitória de Santo Antão-PE. O primeiro corte rastreou o excesso de peso em 2.866 escolares e o segundo corte, a MetS naqueles escolares que apresentaram excesso de peso no primeiro screening. Para avaliação do perfil das apolipoproteínas nos escolares diagnosticados com MetS, foi constituído um grupo controle, selecionado entre os escolares que não apresentaram MetS. Esse pareamento permitiu estabelecer um parâmetro de comparação mais apropriado para avaliação das eventuais flutuações na distribuição das apolipoproteínas na MetS. A amostra foi do tipo poli-etapas, selecionando-se as unidades amostrais elementares por partilha proporcional. A obesidade foi avaliada pelo índice de massa corporal, circunferência da cintura, razão cintura e estatura e circunferência do pescoço. A MetS foi definida pelas recomendações da National Cholesterol Education Program Adult Treatment Panel III (2001) e da International Diabetes Federation (2007), e o risco cardiovascular pela razão das concentrações de apolipoproteínas A-I e B-100. Na análise dos dados foram empregadas técnicas estatísticas descritivas e multivariadas. A prevalência de excesso de peso analisada pelo índice de massa corporal foi de 17,8% (IC95%:16,4-19,2) e a de obesidade abdominal foi de 4,2% (IC95%:3,5-5) para a circunferência da cintura e de 11,4% (IC95%:10,2-11,5) quando da razão da circunferência da cintura e estatura e 30,1% (IC95%:28,4-31,8) para circunferência do pescoço. A razão APOB-100/APOA-I elevada esteve presente em 35,5% (IC95%: 29,5-41,8) e a MetS foi identificada em 14,5% (IC95%: 10,4-19,5) e 18,5% (IC95%: 14-29) dos adolescentes com excesso de peso de acordo com os critérios do IDF(2007) e NCEP/ATP-III (2001), respectivamente. As medianas da razão APOB-100/APOA-I foram significativamente mais elevadas entre os adolescentes com a MetS (p<0,001). A análise de regressão de Poisson ajustada mostrou como fatores de risco independentes, para o excesso de peso dos adolescentes, as mães com escolaridade igual ou superior a 9 anos de estudo (RP= 1,27 IC95% 1,06-1,53), adolescentes pertencentes à classe social mais elevada (RP= 2,06 IC95% 1,59-2,67) e o uso de televisão em dias de semana acima de 3h/dia (RP= 1,3 IC95% 1,07-1,60). Já para elevada razão da APOB-100/APOAI os fatores de risco independentes foram o baixo HDL-c (RP=1,77 IC95% 1,2-2,6) e o elevado LDL-c (RP=3,28 IC95% 2,4-4,5). Conclusão: A elevada prevalência de excesso de peso impõe a adoção de estratégias de prevenção e controle, sobretudo aquelas focalizadas na redução à exposição aos fatores de risco, visando o efetivo combate à pandemia da obesidade em adolescentes. A elevação do HDL-c e redução do LDL-c podem reduzir o risco global de doenças cardiometabólicas em adolescentes. Uma razão APOB-100/APOA-I elevada pode constituir uma característica importante da MetS em adolescentes e pode proporcionar um mecanismo adicional para explicar o aumento do risco cardiovascular em indivíduos com esta síndrome.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/12967
Aparece na(s) coleção(ções):Teses de Doutorado - Saúde da Criança e do Adolescente

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
AA_TESE_AUGUSTO BARRETO_24_FINAL.pdf6,88 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons