Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/12655
Título: Efeito dos Agonistas Dopaminérgicos d1 e d2 no Comportamento Alimentar Hedônico em Ratos Adultos Submetidos à Desnutrição Proteica Perinatal
Autor(es): Martimiano, Paula Honório de Melo
Palavras-chave: Desnutrição Perinatal; Receptor D1; Receptor D2; Motivação; Alimento Palatável
Data do documento: 3-Fev-2012
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: MARTIMIANO, Paula Honório de Melo. Efeito dos agonistas dopaminérgicos D1 e D2 no comportamento alimentar hedônico em ratos adultos submetidos à desnutrição proteica perinatal. Recife, 2012. 70 f. : Dissertação (mestrado) - UFPE, Centro de Ciências da Saúde, Programa de Pós-graduação em Patologia, 2012.
Resumo: A desnutrição perinatal produz hiperfagia e aumento dos níveis de dopamina encefálica. Os receptores D1 e D2 estão envolvidos no consumo de alimentos palatáveis. O conhecimento de mecanismos neurais que definem a preferência por esse tipo de alimento e a relação desses mecanismos com o ambiente precoce pode ser alvo para prevenção e tratamento da síndrome metabólica. O trabalho avaliou o efeito da desnutrição protéica perinatal sobre a função dos agonistas dopaminérgicos D1 e D2 na motivação e no consumo de alimentos palatáveis. Foram utilizados ratos Wistar divididos segundo a dieta oferecida às mães durante o período perinatal: Normonutrido e Desnutrido. Foram avaliados: Peso corporal; Comportamento motivacional diante de recompensa alimentar; Ingestão de alimento palatável sob efeito dos agonistas dopaminérgicos D1 e D2. Foi observado que o peso corporal dos animais desnutridos se manteve menor quando comparado ao controle. Os animais desnutridos ingeriram maior quantidade de alimento palatável durante o período de teste. A aplicação dos agonistas D1 e D2 reduziu o consumo de dieta palatável em ambos os grupos, entretanto, o efeito anoréctico do agonista D1 foi atenuado pela desnutrição. Durante o teste de motivação, os animais desnutridos foram mais motivados para reagir à recompensa. Esse resultado foi acentuado após aplicação do agonista D1. Portanto, a desnutrição perinatal estimula os componentes motivacionais do comportamento alimentar reduzindo a ação hipofágica da dopamina sobre D1, aumentando o consumo de alimentos palatáveis.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/12655
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Patologia

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISSERTACAO_paula.martimiano.pdf1,65 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons