Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/12571
Título: Efeitos da associação do ultrassom terapêutico e de células mononucleares da medula óssea na regeneração do nervo periférico.
Autor(es): ANDRADE, Rodrigo Fragoso de
Palavras-chave: Nervo Ciático; Regeneração Nervosa; Biopolímero de Cana-de-açúcar; Células Mononucleares da Medula Óssea; Ultrassom terapêutico
Data do documento: 7-Mar-2013
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: ANDRADE, Rodrigo Fragoso de. Efeitos da associação do ultrassom terapêutico e de células mononucleares da medula óssea na regeneração do nervo periférico. Recife, 2013. 160 f. Tese (doutorado) - UFPE, Centro de Ciências Ciências da Saúde, Programa de Pós-graduação em Neuropsiquiatria e Ciência do Comportamento, 2012
Resumo: O estudo teve como objetivo avaliar a utilização do biopolímero da cana-de-açúcar como guia na reparação de lesão completa do nervo periférico, além de verificar o efeito do Ultrassom Terapêutico (US) e das Células Mononucleares da Medula Óssea (CMMO), associados ou não, neste mesmo processo. Um total de 45 ratos machos, albinos, Wistar, adultos foram utilizados, formando os grupos: (1) Grupo Controle (GC), (2) lesão + tubo de Polietileno (Grupo Polietileno - GP), (3) lesão + tubo de Biopolímero (Grupo Biopolímero - GB); para as demais investigações os seguintes grupos foram utilizados: (4) lesão + CMMO(-)/US(-); (5) lesão + CMMO(-)/US(+); (6) lesão + CMMO(+)/US(-) e (7) lesão + CMMO(+)/US(+). Aos 60 dias de vida, os animais foram submetidos a neurotomia do ciático e reparo com a técnica de tubulização, mantendo uma distância de 4mm entre os cotos neurais. O protocolo do ultrassom terapêutico pulsado consistiu nos seguintes parâmetros: frequência de emissão: 1MHz, frequência de pulsação 100Hz, ciclo de trabalho 20%, 2ms de duração de pulso, intensidade de 0.5w/cm2, com aplicação direta através de gel aquoso, 5 min/dia, durante 12 dias consecutivos. No grupo placebo o ultrassom foi utilizado com o equipamento desligado. Já, para a utilização da terapia celular, a medula óssea foi aspirada de fêmures e tíbias de ratos, a fração mononuclear separada e ajustada para um volume de 5x106 células/20μL de Matrigel e meio de cultura. 90 dias após a neurotomia, o material presente no interior dos tubos foi coletado, processado, emblocado em resina, para a obtenção dos cortes transversais semi-finos. Avaliou-se: quantidade total de fibras mielínicas e de vasos sanguíneos, área de secção transversa do tecido nervoso neoformado, densidade de fibras mielínicas, diâmetro das fibras mielínicas e do axônio, espessura da bainha de mielina e razão g. Os dados foram expressos em média ± desvio-padrão. Foram utilizados os seguintes testes estatísticos: Teste- T Student (análise entre dois grupos) e ANOVA one-way post hoc Tukey (análise de três grupos), com p<0.05. Nos resultados observou-se que o tubo de biopolímero foi adequado para favorecer a regeneração no nervo ciático lesionado, apresentando resultados mais expressivos (p<0.05) em relação ao número de vasos, diâmetro axonal e na razão g. A aplicação do ultrassom promoveu aumento no número de vasos sanguíneos, no diâmetro de fibras mielínicas e no diâmetro axonal, na espessura da bainha de mielina e razão g (em ambos, p<0.05) nos animais estimulados. Por fim, a associação das CMMO/US demonstrou potencialização da regeneração nervosa, uma vez que nestes animais foram encontrados maior número de fibras mielínicas (p<0.01), de vasos sanguíneos (p<0.05) e maior espessura da mielina (p<0.01), em relação aos animais não tratados com as ondas sonoras. Diante dos resultados obtidos neste estudo: (1) o biopolímero da cana-de-açúcar pode ser considerado um material viável para a confecção de tubos guia na reparação de lesões totais do nervo periférico; (2) o ultrassom terapêutico é um recurso físico capaz de estimular a regeneração do nervo periférico; (3) a associação entre o ultrassom terapêutico e as células mononucleares da medula óssea potencializa a resposta regenerativa do nervo periférico, pelo menos, no que se refere às suas características estruturais.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/12571
Aparece na(s) coleção(ções):Teses de Doutorado - Neuropsiquiatria e Ciência do Comportamento

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Texto_tese_Rodrigo_Fragoso_versão_digital_biblioteca corrigida.pdf2,5 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons