Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/12502
Título: Por que as instituições mudam? O caso do IFMT
Autor(es): POLICARPO, Renata Raizel
Palavras-chave: Política pública; educação profissional; Institutos Federais; criação e implementação
Data do documento: 31-Jan-2012
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: Este estudo desenvolveu uma análise através de duas questões problema: Por que foram criados os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia e como se deu a sua implementação? As análises foram desenvolvidas no campo da ciência política voltadas para a área de políticas públicas. A metodologia utilizada para este estudo foi o estudo de caso, tendo como ferramenta de pesquisa as entrevistas e a principal fonte de dados utilizada foram os relatórios de prestação de contas das instituições envolvidas. A teoria principal que deu base para o estudo foi desenvolvida pela escola neoinstitucionalista que prega o slogan: “as instituições importam”, segundo esta teoria as instituições devem ser tomadas como ponto de partida para as análises em ciência política. Com o foco nas instituições é possível desvendar as características das suas mudanças. A rede de educação profissional é centenária e ao longo da sua existência passou por muitas transformações. A mais recente foi a transformação em Instituto Federal, como desdobramento da política de educação profissional do Governo Lula. Este estudo fez uma análise dos principais atores envolvidos nessa política pública de educação profissional, que são: o governo, que criou a política e o Banco Mundial, um dos principais financiadores da educação profissional no Brasil e um ator influente nas decisões governamentais. Por meio da análise dos principais atores envolvidos o trabalho procurou desvendar qual ou quais os motivos que levaram à criação dos Institutos Federais e através do estudo de caso sobre o IFMT e as entrevistas realizadas com os servidores que participaram do processo de criação do Instituto e também os representantes do Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica (SINASEFE), foi possível levantar os pontos positivos e negativos da implementação e fazer uma análise crítica sobre a mesma.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/12502
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Ciência Política

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação Renata Raizel Policarpo.pdf593,74 kBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.