Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/12352
Título: Avaliação do Protocolo Com Atividade Fixa Em Portadores da Doença de Plummer Pós Radioiodoterapia (RIT)
Autor(es): MENDONÇA, Keyla Mary Cavalheiro
Palavras-chave: Tireóide; 131I; Atividade Fixa
Data do documento: 10-Ago-2011
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: MENDONÇA, Keyla Mary Cavalheiro. Avaliação do protocolo com atividade fixa em portadores da Doença de Plummer Pós Radioiodoterapia (RIT). Recife, 2012. 44 folhas : Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Pernambuco. CTG. Programa de Pós-Graduação do Departamento de Energia Nuclear, 2012.
Resumo: A terapia com 131I é o tratamento mais prescrito para pacientes adultos com doença de Plummer, consolidando-se por ser um tratamento efetivo, de baixo custo e seguro. Há diferentes protocolos em uso para se determinar a atividade radioativa (dose) a ser administrada no tratamento com 131I dessa doença, mas nem todos consideram a dose absorvida na tireoide. Estudos mostram que essa prática deveria se basear na captação individual do 131I, na biocinética do paciente e na massa da tireóide. Estudos que se contrapõem à essa idéia, mostrando que a utilização de atividades calculadas em função da massa glandular e pela captação do iodo não oferece vantagens em relação às atividades fixas, ocasionando seu custo operacional. O objetivo deste trabalho é avaliar a eficiência do protocolo utilizado em tratamento da doença de Plummer com atividade fixa, 1110 megabequeréis (MBq) o que equivale a (30mCi) de 131I, considerando a relação entre a atividade efetiva e a atividade prescrita empiricamente, bem como o comportamento clínico da DP durante dois anos de tratamento após a administração da mesma, levando em conta as variáveis idade, massa corporal, TSH e T4. Este estudo foi realizado considerando informações de 54 pacientes portadores da doença de Plummer, os quais foram divididos em três grupos conforme informações nos prontuários. Foram elas: a evolução clínica laboratorial, a captação máxima do 99m Tc, para realização do calculo 131I, e a massa da tireoide. Para o cálculo da atividade foi o utilizado o método do Medical Internal Radiation Dosimetry (MIRD) (MANZANO et al., 2002). Portanto, o protocolo que utiliza a atividade administrada fixa apresentou uma boa eficiência no tratamento com 131I para os pacientes com doença de Plummer. Em comparação com atividade efetiva (calculada) os resultados mostraram que o protocolo que utiliza atividade administrada fixa, apresentou discrepâncias com relação às atividades que deveriam ser administradas levando em conta os parâmetros dosimétricos; ora o paciente recebia atividade abaixo da necessária, ora acima da necessária. As variáveis estudadas influenciaram no resultado do tratamento.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/12352
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Tecnologias Energéticas e Nucleares

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação Keyla Mendonça.pdf1,44 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons