Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/12154
Título: Seleção de actinobactérias da rizosfera da caatinga com potencial para promoção de crescimento vegetal
Autor(es): LINS, Milca Rachel da Costa Ribeiro
Palavras-chave: Ácido 3-indolacético; Amônia; Atividade antimicrobiana; Caatinga; Crescimento vegetal; Fosfatases; Rizobactérias; Solubilização de fosfato
Data do documento: 24-Fev-2014
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: O bioma Caatinga é exclusivo do Brasil e inexplorado em relação ao isolamento de micro-organismos produtores de substâncias importantes para agroindústria. As actinobactérias são bactérias filamentosas Gram positivas distribuídas na natureza e são capazes de produzir auxinas e substâncias antimicrobianas, além de disponibilizar nutrientes como fosfato e nitrogênio favorecendo o desenvolvimento de plantas. O presente trabalho teve como objetivo analisar 80 actinobactérias isoladas de rizosferas de plantas da Caatinga produtoras de metabólitos bioativos que auxiliam na promoção de crescimento vegetal. A produção de auxina foi avaliada e observado que 86,25% (69) das linhagens produziram auxina em concentrações variando de 1,75 a 76,48 μg.mL-1. Também foi determinado o Índice de Solubilização (IS) de fosfato nos meios de cultura VERMA e NBRIP e observado que 93,75% (75) das linhagens solubilizaram o fosfato nos dois meios com IS variando de 1,15 a 2,25, sendo o meio VERMA estatisticamente melhor para solubilização de fosfato. A produção de fosfatases foi evidenciada em 97,5% (78) das actinobactérias. A atividade antimicrobiana contra bactérias e fungos fitopatógenos mostrou que 15,0% (12) produziram substâncias antimicrobianas contra os fungos (Fusarium oxysporum UFPEDA 2455 e Colletotrichum sp. UFPEDA 2419) e 6,25% (5) apresentaram atividade para Xanthomonas campestres UFPEDA 407. A produção de amônia foi observada em 80% (64) das linhagens em concentrações variando de 3,59 a 292,31 μg.mL-1. A análise de variância e a comparação entre as médias pelo teste de Tukey (5%) evidenciaram que as actinobactérias PR 34 e TUR 704 são as linhagens que se destacaram em relação aos teste realizados. Através das análises cromatográficas foi possível identificar e quantificar o ácido 3-indolacético produzido pela PR 34. As linhagens pertencem ao gênero Streptomyces pela técnica de microcultivo, confirmado pelo sequenciamento do gene 16S rRNA, o qual indicou que as linhagens PR 34 e TUR 704 são similares as actinobactérias Streptomyces fimbriatus NBRC15411 e Streptomyces xanthocidicus NBRC 13469, respectivamente. Os resultados obtidos sugerem que as actinobactérias da Caatinga apresentam potencial biotecnológico, pois apresentam mecanismos que auxiliam no desenvolvimento vegetal, sendo necessário avaliar a viabilidade destes micro-organismos em plantas visando a diminuição do uso de defensivos agrícolas na agroindústria.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/12154
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Biotecnologia Industrial

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISSERTAÇÃO Milca Rachel Lins.pdf1,93 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons