Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/12121
Título: Os Matsés e as fronteiras: conflitos, territorialização e a construção de uma identidade transfronteiriça
Autor(es): Reis, Rodrigo Oliveira Braga
Palavras-chave: Matsés; Fronteiras; Identidades; Territorialidade
Data do documento: 9-Abr-2013
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: REIS, Rodrigo Oliveira Braga. Os Matsés e as fronteiras: conflitos, territorialização e a construção de uma identidade transfronteiriça. Recife, 2013. 150 f. Dissertação (mestrado) - UFPE, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-graduação em Antropologia, 2013. .
Resumo: A presente dissertação trata da relação entre etnicidade e nacionalidade a partir da análise da situação do povo Matsés (Pano) que habita a zona limítrofe entre o Brasil e o Peru. Adotando a perspectiva de que as regiões fronteiriças configuram espaços que possibilitam observar as estratégias dos Estados e das populações locais de definição e redefinição territorial – processos que ainda são influenciados pela atuação de ONGs e de missões religiosas – buscaremos abordar a etnicidade e a nacionalidade como expressões identitárias interrelacionadas em um espaço sócio-cultural de fronteiras políticas entre países. A região estudada tem sido palco de diversas frentes econômicas, como a exploração da seringa e do caucho, posteriormente, a exploração madeireira e, mais recentemente, os projetos de concessão para exploração petrolífera no Peru e sua população é constituída de uma diversidade de povos indígenas (a exemplo dos que habitam a Terra Indígena Vale do Javari no Brasil), de comunidades ribeirinhas (pescadores, agricultores, seringueiros, extratores e coletores de modo geral) e por pessoas de outras regiões, como militares, pesquisadores e missionários. Neste cenário, os Matsés vêm estabelecendo diversas relações interétnicas ao longo do tempo, definindo e redefinindo sua identidade, construindo sua territorialidade e (re)formulando sua organização social e política. O quadro de relações estabelecidos entre os Matsés e as agências indigenistas governamentais e não-governamentais, aliado às dinâmicas internas ao grupo, têm provocado tanto processos de sedentarização e fixação de comunidades quanto a mobilidade de grupos ou sub-grupos na área do rio Javari e seus afluentes. Neste sentido, buscaremos discutir a configuração de novos padrões de territorialidade dos quais decorrem novas formas de organização social e política.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/12121
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Antropologia

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISSERTAÇÃO Rodrigo Oliveira Braga Reis.pdf1,89 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons