Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/12053
Título: Impacto da Higiene Oral com clorexidina com e sem escovação dental na Prevenção da Pneumonia associada à Ventilação Mecânica: Estudo Randomizado
Autor(es): Vidal, Claudia Fernanda de Lacerda
Palavras-chave: Pneumonia; Ventilação mecânica; Higiene oral; Escovação dental; Cuidado oral; Clorexidina; UTI
Data do documento: 28-Fev-2014
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: A pneumonia associada à ventilação (PAV) representa uma das infecções mais comuns na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), e a aspiração de micro-organismos presentes na orofaringe constitui o principal mecanismo fisiopatológico da PAV, funcionando a placa dental como habitat para potenciais patógenos respiratórios como bacilos Gram-negativos (Pseudomonas aeruginosa, Acinetobacter spp) e Staphylococcus aureus, os agentes mais frequentemente isolados nestas infecções. O uso de soluções antissépticas para descontaminação da orofaringe, e da escovação dental como método mecânico para remoção da placa tem sido objeto de investigações. Verificar se a higiene oral, através da escovação dental com clorexidina em gel a 0,12% reduz a incidência da pneumonia associada à ventilação mecânica, a duração da ventilação mecânica, o tempo de internação e a mortalidade na UTI, quando comparado à higiene oral com uso de clorexidina solução oral a 0,12% sem escovação dental, em indivíduos adultos sob ventilação mecânica internados em Unidades de Terapia Intensiva Clínico/Cirúrgica e Cardiológica. No período de março a julho/2013, foi realizado estudo de corte transversal em UTI cardiológica para análise da contaminação microbiana das escovas dentais, após tempos diferentes de uso e descarte (24h, 48h, 72h, 96h, 120h) em indivíduos adultos e sob ventilação mecânica por pelo menos 48h. Em seguida foi realizado estudo de coorte, randomizado, conduzido em três UTIs de hospitais públicos e uma UTI de hospital filantrópico do Recife/PE, no período de julho de 2013 a janeiro de 2014. Os indivíduos admitidos nas UTIs dos quatro hospitais participantes (total de 46 leitos) e que preencheram os critérios de inclusão (idade igual ou superior a 18 anos, submetidos à intubação, com perspectiva de manutenção da ventilação mecânica por período superior a 48 horas, sem evidência de infecção pulmonar à admissão) foram randomizados dentro de 24 horas da intubação e início da ventilação mecânica para o grupo controle (higiene oral com clorexidina solução oral 0,12% a cada 12 horas) ou grupo de intervenção (higiene oral com escovação dental com clorexidina em gel 0,12% a cada 12 horas), o que constituiu a amostra do estudo. Foram excluídos indivíduos sem dentição, suspeição de pneumonia no momento da intubação, gestação, traqueostomia ou alergia à clorexidina. A participação dos indivíduos se encerrou no 28º dia de acompanhamento ou quando da ocorrência de óbito, extubação ou transferência. Amostra composta por 213 indivíduos, dos quais 108 constituíram o grupo controle e 105 o grupo intervenção. Comparando os grupos quanto às características clínicas no momento da admissão, observou-se que não houve diferença estatística significativa (p >0,05). Dentre os 213 indivíduos, a pneumonia associada à ventilação mecânica ocorreu em 45 (21,1%), sendo 28 do grupo controle e 17 do grupo intervenção, com densidade de incidência igual a 14,2 por 1.000 VM/dia. O uso da escovação dental com clorexidina gel a 0,12% demonstrou uma menor incidência de PAV ao longo do período de acompanhamento, embora sem diferença estatisticamente significante (p = 0,084). O risco relativo de óbito foi maior no grupo controle em 41%, apesar da não significância estatística. Houve redução significativa do tempo médio de ventilação mecânica no grupo submetido à escovação dental (p = 0,018), mas quanto ao tempo de internação na UTI não houve diferença estatisticamente significante (p = 0,064), embora tendência à redução do tempo de internação no grupo intervenção tenha sido observada. O exame microbiológico das escovas dentais mostrou isolados bacterianos em todos os momentos do descarte. Os resultados obtidos mostraram que, dentre os pacientes submetidos à escovação dental, houve redução significativa do tempo de ventilação mecânica, e tendência à redução da incidência de PAV e tempo de internação na UTI, embora sem significância estatística. Desse modo, quanto ao risco de PAV e óbito a amostra parece não ter sido suficientemente grande para detectar diferença nessa magnitude.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/12053
Aparece na(s) coleção(ções):Teses de Doutorado - Medicina Tropical

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TESE Claudia Fernanda de Lacerda Vidal.pdf1,97 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons