Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/11913
Título: Economia e produção Ingarikó
Autor(es): Rodrigues, Emerson da Silva
Palavras-chave: Índios; Economia; Produção
Data do documento: 8-Mar-2013
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: RODRIGUES, Emerson da Silva. Economia e produção Ingarikó. Recife, 2013. 160 f. Dissertação (mestrado) - UFPE, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-graduação em Antropologia , 2013. .
Resumo: A economia indígena é um processo múltiplo, dinâmico, inteligente, complexo, flexível, condensador, aglutinador, equalizador sócio cultural e político econômico, territorial, bélico, ambiental, ritual e espiritual. As pequenas sociedades, comunidades, e os povos indígenas produziam e comercializavam seus produtos dentro das redes de troca e intercâmbio intraétnico e interétnico, que abrangiam grandes extensões territoriais. Essa economia ampliava e fortalecia os seus sistemas, relações sócio culturais e político econômico, que antecedeu o Estado moderno e a economia oficial, seus sistemas declinaram diante do contato com o colonizador. Diminuíram a sua intensidade, mas não desapareceram tornaram-se dinâmicas com novos contornos, diante dos mercados e das economias atuais. Suas estratégias foram reelaboradas, e em pleno século XXI mesclam seus sistemas econômicos, com a economia vigente dessa forma fazem a apreensão segundo a sua cultura e realidade. Os Ingarikó se empoderam nesse exercício constante de aprendizado sobre as suas relações internas produtivas e sociais diante do mundo econômico que os cercam, não ficaram alheios, mas não significa que se renderam diante do sistema econômico. Sua economia interna, através das suas roças, e dos seus produtos mediam as suas relações de troca, reciprocidade, solidariedade, generosidade, ritual e da dádiva. Com a inserção do dinheiro no seu sistema econômico tradicional, as suas relações foram impactadas, por isso desenvolveram mecanismos e estratégias locais e comunitárias diante do fato, como a antropofagia e canibalismo econômico. Sua religião o Areruya regula os rituais das práticas produtivas como uma espécie de economia xamânica ou ecologia espiritual. Fora a questão da econômica externa os Ingarikó foram afetados pelas mudanças climáticas que interferem diretamente na sua vida social, econômica e produtiva e consequentemente na sua alimentação.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/11913
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Antropologia

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISSERTAÇÃO Emerson da Silva Rodrigues.pdf2,95 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons