Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/11900
Título: Caracterização de Aspergillus sp. Quanto a capacidade de degradação de óleo diesel
Autor(es): Lira, Diana Duarte de
Palavras-chave: Biorremediação; Taxonomia; Aspergillus; Óleo diesel
Data do documento: 25-Fev-2014
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: A taxonomia clássica de fungos filamentos é baseada em observações de características fenotípicas, além de incorporar as aplicações biotecnológicas das substâncias produzidas à otimização de processos. Os fungos por participarem da ciclagem de material orgânico são hábeis em descontaminar ambientes. Este trabalho teve por objetivo a identificação de 23 espécies de Aspergillus isolados de água do mar e estuário com a capacidade de utilizar óleo diesel como fonte de carbono. Para taxonomia clássica foram utilizados meios diferenciais. Após a identificação foi realizado o teste com o indicador 2,6 diclofenolindolfenol, e foram selecionados os que apresentaram mudança da coloração do indicador com 24horas após inicio do ensaio. As linhagens selecionadas foram submetidas aos ensaios de aclimatação, otimização das condições nutricionais do meio de cultivo e toxicidade dos subprodutos provenientes do biotratamento utilizando o índice de germinação o qual analisa a geminação e crescimento médio de sementes vegetais. Para otimização de ensaio de degradação foi utilizado o planejamento experimental Delineamento Composto Central com três variáveis independentes: nitrogênio, fósforo e magnésio. Foram identificadas as espécies Aspergillus flavus(06), Aspergillus aculeatus(08), Aspergillus terreus(01), Aspergillus awamori(02), Aspergillus tamarii(01), Aspergillus japonicus(03), Aspergillus niger(02). Oito linhagens apresentaram viragem da coloração azul para incolor em 24 horas, mas o Aspergillus flavus (AFL59) foi selecionado para todos os testes por apresentar 80% de degradação. A linhagem submetida ao ensaio de otimização apresentou o Índice de Germinação com valores próximos a 100% crescimento da raiz e eficiência de degradação (E.D%) do óleo diesel próximo a 100% para o hidrocarboneto nonano, ausência de picos entre decano e hexadecano, e a partir de heptadecano até heneicosano as porcentagens variaram entre 20,85% e 37,11%. Concluímos que o tratamento de óleo diesel utilizando as linhagens de Aspergillus mostrou-se eficiente para degradação de cadeias de hidrocarbonetos maiores apresentando baixa toxicidade para o nível trófico utilizado para o ensaio.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/11900
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Biologia de Fungos

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISSERTAÇÃO DIANA DUARTE DE LIRA.pdf3,07 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons