Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/11759
Título: Qualidade de vida na doença arterial coronariana
Autor(es): Silva, Viviane Cristina Vieira da
Palavras-chave: Qualidade de vida; Doença arterial coronariana; Doença das coronárias
Data do documento: 26-Ago-2014
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: Introdução: A Doença Arterial Coronariana caracteriza-se pela insuficiência de irrigação sanguínea no coração por meio das artérias coronárias. Está diretamente relacionada ao grau de obstrução do fluxo sanguíneo pelas placas ateroscleróticas, resultando em estreitamento das artérias coronárias (estenose), o qual, devido à redução do fluxo sanguíneo coronariano, diminui a chegada do oxigênio ao coração. É primordial conhecer a qualidade de vida na população acometida por esta doença cardiovascular coletando dados e indicadores para a adequada condução, tratamento e elaboração de políticas públicas. Objetivo: Avaliar a qualidade de vida de pacientes com Doença Arterial Coronariana Crônica; identificar os domínios de Qualidade de Vida afetados pela Doença arterial coronariana. Métodos: O estudo do tipo transversal, prospectivo e analítico com abordagem quantitativa e qualitativa realizada no ambulatório de Cardiologia do Hospital Universitário Lauro Wanderley da Universidade Federal da Paraíba. A amostragem constituída foi por conveniência entre os meses de abril a dezembro de 2013, tipo registro de mundo real. Os dados obtidos foram manipulados no Microsoft Excel® 2010 e SPSS 18.0v. Para avaliar o perfil sociodemográfico e clínico dos pacientes do estudo foram calculadas as frequências percentuais e construídas as respectivas distribuições; o escore de qualidade de vida do SF-36 e do WHOQOL-bref foram calculadas as estatísticas: mínimo, máximo e mediana ; normalidade do escore de qualidade de vida foi aplicado o teste de Kolmogorov-Smirnov. Nos casos em que o teste não indicou normalidade foi aplicado o teste de Kruskal-Wallis na comparação da qualidade de vida entre os domínios avaliados em cada instrumento; a correlação entre a qualidade de vida medida pelo SF-36 e o WHOQOL-bref foi calculada a correlação de Spearman. A comparação do escore de qualidade de vida entre os fatores do estudo foi aplicado o teste de Mann-Whitney, quando a comparação se tratava entre dois grupos, e o teste de Kruskal-Wallis, quando se tratava de três ou mais grupos. Resultados: A qualidade de vida revelou estar alterada nos fatores de risco como HAS, idade e eventos isquêmicos anteriores acarretando, dessa forma, negativamente na qualidade de vida. Esses dados foram identificados em ambos os instrumentos aplicados SF-36 e WHOQOL-bref. Conclusão: Esses dois instrumentos demonstraram-se úteis na avaliação da qualidade de vida dos portadores de doença arterial coronariana. Mais estudos sobre este tema devem ser realizados pois a avaliação da qualidade de vida tem implicações práticas nas intervenções de saúde e condução de medidas governamentais voltadas para prevenção e diminuição da morbidade/ mortalidade causadas pelas doenças cardiovasculares.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/11759
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Ciências da Saúde

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISSERTAÇÃO Viviane Cristina Vieira da Silva.pdf1,48 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons