Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/11675
Título: Gêneros acadêmicos escritos: crenças e estratégias de aprendizagem
Autor(es): Rodrigues, Márcia Candeia
Palavras-chave: Gêneros acadêmicos; Produção textual; Crenças; Estratégias de aprendizagem
Data do documento: 6-Nov-2012
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: RODRIGUES, Márcia Candeia. Gêneros acadêmicos escritos: crenças e estratégias de aprendizagem . Recife, 2012. 331 f. Tese (doutorado) - UFPE, Centro de Artes e Comunicação, Programa de Pós-graduação em Letras, 2012.
Resumo: Esta pesquisa amplia o debate sobre a produção textual de gêneros acadêmicos escritos, detendo-se, de modo particular, à depreensão das crenças e das estratégias de aprendizagem que orientam o processo de escrita do resumo, da resenha e do artigo científico. Esses textos representam boa parte dos gêneros a partir dos quais o aluno se envolve nas diversas atividades linguageiras da comunidade acadêmica, atenta para a organização e funcionamento da linguagem desse grupo, se apropria das formas do dizer e fomenta a divulgação e circulação do conhecimento. As crenças, nessa direção, abrangem um conjunto de representações; suposições; ideias populares; uma forma de conhecimento estável, declarável, intuitivo, implícito ou explícito; um tipo de conhecimento metacognitivo; um modo de aprendizagem e de ensino de língua; e ainda um processo de aprendizagem (BARCELOS, 2004; SILVA, 2005). As crenças abrem oportunidades para que professores e alunos (re) conheçam as estratégias ativadas na/para a produção do texto e favorecem que outras e novas estratégias - cognitivas, linguísticas, textuais e/ou discursivas - sejam adotadas. À luz desses conceitos, busca-se: i) descrever as crenças que orientam a escrita acadêmica e, em especial, as crenças de produção desses textos; ii) discutir as estratégias típicas do manuseio da arquitetura textual comum ao discurso teórico-científico; assim como iii) explorar as estratégias que revelam as ações do aluno para mobilizar saberes sobre a escrita, os gêneros textuais e/ou outros saberes (linguísticos, sociais, históricos, cognitivos, discursivos etc.). Metodologicamente, as crenças e estratégias são identificadas a partir da técnica do grupo focal e por meio da coleta de textos produzidos por alunos do curso de Letras de uma universidade pública da Paraíba, Brasil. Esses dados revelam que os alunos possuem um tipo de conhecimento metacognitivo sobre o processo de produção textual, sobre o contexto de produção e sobre o leitor potencial desse texto, embora demonstrem mobilizar poucas estratégias, principalmente de natureza linguístico-textual, para monitorar a escrita e a revisão do texto. A pesquisa ressalta a necessidade de a produção desses textos ocorrer de modo mais explícito e frequente na rotina acadêmica, para que os alunos adquiram estratégias mais eficientes de escrita, estabeleçam relações entre gênero e texto, se familiarizem com os modos de dizer e fazer acadêmicos. Também reforça que é preciso que as atividades sejam mais regulares e que deem sistematicidade às estratégias de revisão gramatical, textual e discursiva. Essas atividades devem favorecer, enfim, a inserção dos alunos em um contexto de letramento acadêmico e o confronto entre velhas e novas crenças.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/11675
Aparece na(s) coleção(ções):Teses de Doutorado - Linguística

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Marcia_Candeia_Rodrigues_Doutorado_2012.pdf15,02 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons