Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/11317
Título: Competitividade portuária e eficiência técnica: uma aplicação utilizando fronteiras de produção e regressão beta inflacionada
Autor(es): CABRAL, Alexandra Maria Rios
Palavras-chave: DEA; FDH; Terminal de container; Portos brasileiros; Eficiência técnica; Eficiência portuária; Regressão beta inflacionada; Análise de cluster
Data do documento: 3-Dez-2014
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: O objetivo geral desta tese é fornecer instrumentos de análise e comparação de competitividade e de eficiências técnicas aos gestores de portos e terminais públicos ou privados interessados em aumentar a qualidade de seus serviços. Para tal, este trabalho foi subdividido em três partes. A primeira procurou classificar 17 terminais brasileiros em diferentes grupos a partir de oito critérios de seleção, realizando-se uma análise de cluster hierarquizada que possibilitou a formação de 03 grupos distintos entre si. Feito isso, na segunda parte, partiu-se para a mensuração de escores de eficiências técnicas utilizando-se do método de envelopamento de dados (DEA) e da técnica free disposal hull (FDH) para também obter as metas e os principais benchmarks. Como principais resultados, ficou mostrado que o cais público do porto de Belém e os terminais Tecon e Tecondi do porto de Santos foram apontados como principais benchmarks. Na terceira parte, trabalhou-se com modelos de regressão beta inflacionadas em um para investigar o impacto de alguns fatores apontados como relevantes na mensuração da eficiência calculada anteriormente. As regressões estimadas tiveram um excelente ajuste com pseudo R2 superiores a 0,66 e foi observado que se faz relevante aumentar a movimentação de contêineres desde que de uma forma mais distribuída entre o norte e sul brasileiro, fazendo com que os portos do sul-sudeste não sejam os únicos a liderar o mercado neste segmento. Com uma distribuição geográfica mais equitativa deste tipo de carga, o incremento da taxa de consignação dos terminais do norte e nordeste sofreriam incrementos imediatos. Por fim, propõe-se estudar novas formas de diminuir as filas de navios a espera do seu atracamento, aumentando, assim, a competitividade brasileira com a redução do custo do frete marítimo.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/11317
Aparece na(s) coleção(ções):Teses de Doutorado - Engenharia de Produção

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TESE Alexandra Maria Rios Cabral.pdf1,57 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons