Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/11282
Título: Avaliando o desenvolvimento da Teoria da Mente e da Empatia em crianças e a possível relação destes processos
Autor(es): Ramos, Mona Oliveira
Palavras-chave: Teoria da mente; Empatia; Condicionantes; Outro; Simulação.
Data do documento: 31-Jan-2012
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: O termo Teoria da Mente refere-se à capacidade de inferir sobre o estado mental de si e do outro, enquanto que a Empatia é uma resposta cognitivo-afetiva despertada à partir da observação da situação de outras pessoas. Baseando-se em estudos anteriores e na consideração de que a habilidade em tomar a perspectiva de outro é indispensável para a evolução de ambas, formulou-se a hipótese de que tais capacidades possam estar relacionadas nos primeiros anos de vida. Para testar esta hipótese, serão investigadas 90 crianças, com idades variando entre 3 e 5 anos de ambos os sexos, a partir de um instrumento baseado na História de Sally (Baron-Cohen, Leslie & Frith, 1985), tal tarefa foi alterada quanto à composição da sua história, de forma a fundir-se como o conceito de simulação mental, como proposto por Harris (1992). Sendo assim, o roteiro direcionava a criança a uma tomada de perspectiva mental do personagem, quanto as suas expectativas, desejos e intenções, para assim conseguir inferir sobre sua crença falsa. A história utilizada teve uma versão masculina (A história de Pedrinho) e uma versão feminina (A história de Malú), na busca de potencializar a identificação entre criança e personagem. Essa investigação foi realizada em duas condições: Tradicional (com cartazes) e Modificada (utilizando um instrumento multimídia, criado especificamente para o estudo). Os resultados demonstram que as crianças de 4 anos já apresentam uma compreensão acerca de estados subjetivos, a partir do reconhecimento de uma crença falsa, habilidade que se consolida aos 5 anos. Os condicionantes empáticos apareceram mais precocemente, e foram complexificando-se com a evolução da idade. As crianças de 3 anos apresentaram bom desempenho no reconhecimento emocional e desempenho regular nos outros aspectos, enquanto as crianças de 4 anos apresenta bom desempenhos no quatro condicionantes, e as de 5 anos chegam a ter desempenho teto na maioria deles. Os resultados das regressões logísticas demonstraram o poder de predição significativa do comportamento de ajuda para com a teoria da mente, isso na situação I. Na situação II, previsão comportamental (na situação I) e empatia geral demonstraram prever significativamente o desempenho na questão de teoria da mente nesta situação. Tomando sob análise as duas situações, o poder de predição da teoria da mente encontrou-se na combinação entre previsão comportamental (na situação I e II) e comportamento de ajuda (na situação I). A análise de tais resultados possibilitam a inferência de que empatia e teoria da mente se inter-relacionam bidirecionalmente, de maneira que a contribuição da aquisição de uma teoria da mente para empatia está na possibilidade de apreciar o estado emocional do outro para além das informações explícitas. Enquanto o desenvolvimento dos aspectos da empatia contribui para a consolidação de uma teoria da mente, na medida em que garante a habilidade em tomar o lugar do outro.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/11282
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Psicologia Cognitiva

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISSERTAÇÃO.pdf840,49 kBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons