Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/11202
Título: A pobreza estrutural do nordeste metropolitano: uma análise multidimensional das suas características
Autor(es): CORRÊA, Lucilena Ferraz Castanheira
Palavras-chave: Pobreza; Bem-estar econômico; Capacidade; Inclusão econômica; Inclusão por meio das condições de moradia
Data do documento: 5-Mar-2013
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: CORRÊA, Lucilena Ferraz Castanheira. A pobreza estrutural do Nordeste metropolitano: uma análise multidimensional das suas características. Recife, 2013. 194 f. Tese (doutorado) - UFPE, Centro de Ciências Sociais Aplicadas, Programa de Pós-graduação em Economia, 2013.
Resumo: A pobreza se desenvolve por meio da construção e consolidação de estruturas e processos que lhe atribuem forma concreta de estágio de privação tanto social como econômica para uma parcela da sociedade. Na prática, os estudos empíricos têm início a partir da delimitação de uma linha que define uma escala de valorização, ou seja, nesse momento a pobreza é determinada sob a ótica “insuficiência de renda”. A lógica que se verifica é que a pobreza vai além da insuficiência de recursos monetários e que a problemática desse estágio de privação é constituída pela agregação de vários fatores sociais. Para isso, utiliza-se, como instrumento analítico, o método de Modelagem de Equações Estruturais (MEE), pois a sua grande contribuição está na abordagem da pobreza como uma forma inter-relacional com variáveis sociais e não somente com uma variável (renda). O estudo utiliza microdados da Pesquisa de Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) do ano de 2009, centrando nas Regiões Metropolitanas do Nordeste: Fortaleza; Recife e Salvador. Nelas, definem-se as quatro dimensões da pobreza: capacidade, bem-estar econômico, inclusão econômica e inclusão por meio das condições de moradia em que será efetuada análise, utilizando como instrumento a relação entre as variáveis observadas e suas respectivas dimensões e, no segundo momento, essas dimensões passam a ser as variáveis medidoras para identificar qual delas possui maior relação com o construto superior. Nesse sentido, a redução da pobreza – construto superior -consegue captar o forte grau de correlação dos construtos bem-estar econômico, capacidade, inclusão econômica e inclusão para condições de moradia o que vem corroborar a existência multidimensional das características dessa realidade de carência e privação.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/11202
Aparece na(s) coleção(ções):Teses de Doutorado - Economia

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TESE LUCILENA FERRAZ CASTANHEIRA CORRÊA.pdf2,5 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons