Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/11143
Título: Família e sofrimento psíquico : um estudo com familiares de usuários de um CAPS particular
Autor(es): Silva, Júlia Santos
Palavras-chave: Reforma psiquiátrica; CAPS; Família; Psicologia discursiva
Data do documento: 31-Jan-2012
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: SILVA, Júlia Santos. Família e sofrimento psíquico : um estudo com familiares de usuários de um CAPS privado. Recife, 2012. 109 f. : Dissertação (mestrado) - UFPE, Centro de Filosofia e Ciências Humanas , Programa de Pós-graduação em Psicologia, 2012..
Resumo: Com a Reforma Psiquiátrica, ocorreram muitas modificações no âmbito da saúde mental. Uma delas foi a criação de serviços substitutivos, como é o caso dos CAPS. Outra dessas mudanças é a reinserção dessas pessoas com sofrimento psíquico no meio familiar. Os CAPS tem como um de seus objetivos reconstruir e estreitar esses laços. No entanto, a Reforma Psiquiátrica e suas implicações nem sempre são bem quistas pelas famílias, e é essa questão que este trabalho se propôs investigar: como é a relação família e sofrimento psíquico em discursos de familiares de usuários de um CAPS da cidade do Recife. Para isso realizamos, durante o período de março a setembro, um grupo focal e entrevistas narrativas com quatro familiares, cada um deles representante de um usuário do CAPS Casa Forte. Os usuários estavam em tratamento na instituição e tinham histórico de internamento em clínica/hospital fechado. É importante ressaltar que o CAPS em questão é particular e os sujeitos da pesquisa pertencem à classe média brasileira e possuem segundo grau completo. Para analisar os discursos construídos pelos sujeitos e seus efeitos, utilizamos a análise de discurso, da Psicologia Social Discursiva. Apesar dos entrevistados usarem termos e expressões próximos àqueles usados na literatura da Reforma Psiquiátrica, eles colocam a pessoa em sofrimento psíquico como incapaz, sem autonomia e sem responsabilidade pelos seus atos. Constatamos também, que os sujeitos entrevistados descrevem a dinâmica familiar como muito penosa e responsabilizam, explicitamente ou implicitamente, o membro da família com sofrimento psíquico por esse clima familiar. Nas suas construções discursivas, os familiares colocam o CAPS como um lugar que alivia a sobrecarga da família causada pelo sofrimento psíquico. Um lugar de ocupação e lazer para os usuários. Colocando, do outro lado, as clínicas particulares como lugar desumano, que transformam seus familiares em seres inanimados, sem vida. Observamos que, apesar dos familiares entrevistados terem um conhecimento dos princípios e valores veiculados pela Reforma Psiquiátrica, eles trazem no seu discurso dificuldades de aceitação do sofrimento psíquico, ora por desconhecer profundamente o sofrimento, ora pela dificuldade em lidar com o comportamento de seus familiares. Observamos, portanto, a importância dos serviços substitutivos, nesse caso os CAPS, em estimular cada vez mais a família no tratamento psiquiátrico, promovendo atividades na instituição que visam estreitar ainda mais os laços ainda existentes das famílias.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/11143
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Psicologia

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
SILVA, Júlia Santos.pdf1,61 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons