Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/11135
Title: Práticas maternas no cuidar do filho em situação de privação de liberdade
Authors: Guerra, Marilia Cruz Gouveia Câmara
Keywords: Cuidado do lactente;Mães;Relação mãe-filho;Prisões;Teoria de Enfermagem
Issue Date: Feb-2013
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Abstract: Explorar um campo ainda pouco discutido, o eixo norteador dessa pesquisa consiste em: quais os significados da prática do cuidar de um filho para mães em privação de liberdade? O artigo de revisão objetivou identificar as práticas do cuidado à criança no domicilio. Tratou-se de um estudo bibliográfico, do tipo revisão integrativa, que emergiu da seguinte questão de pesquisa: Quais práticas do cuidado são prestadas a criança no domicilio? Para a pesquisa realizou-se um levantamento bibliográfico nas Bases de dados LILACS e MEDLINE, utilizando os descritores em português e espanhol “cuidado do lactente”, “mães”, “cuidados domiciliares”, “cuidado del lactante”, “madres”, “cuidados domiciliários” e “cultura”. As onze publicações da amostra destacaram a ambivalência de sentimentos maternos, as vivências do cuidar de um filho no cenário domiciliar, a influência da rede de apoio no cuidar e o ambiente como ator do processo do cuidar. Frente aos resultados encontrados diante do cuidar de um filho no domicilio, percebeu-se que os atores envolvidos no suporte social a mãe e ao filho são agentes facilitadores ou dificultadores desse processo de maternidade. O artigo original buscou apreender as práticas do cuidar de um filho na percepção de mães em privação de liberdade. O estudo foi descritivo, exploratório com abordagem qualitativa. Foi realizado com 14 mulheres privadas de liberdade em uma unidade prisional feminina do município de Recife, Nordeste do Brasil, denominada de Colônia Penal Feminina do Recife (CPFR). A entrevista foi do tipo semi-estruturada e conduzida por um roteiro contendo dados de identificação socioculturais e pela questão norteadora: Como é para você cuidar do seu filho nesse ambiente prisional? Os dados foram analisados a partir de oito categorização apriorísticas, fundamentadas nos modos adaptativos de Roy, cuja condição fornece o sistema de categorias pré-definidas. De acordo com as participantes o ambiente prisional não é um local preparado para atender as necessidades da criança, apesar de buscarem dentro de suas limitações atender as necessidades básicas e fisiológicas da criança. A falta de um sistema de apoio levou as mulheres a ter uma sobrecarga física e emocional. Essa ausência poderia ser amenizada com a preparação e com o acompanhamento nesse período de transição de papel que a maternidade ocasiona. Estratégias educacionais e psicossociais poderiam reduzir o temor e aumentar a qualidade da prática do cuidar do filho dentro do ambiente prisional.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/11135
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Enfermagem

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTAÇÃO Marilia Cruz Gouveia Câmara Guerra.pdf1.94 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons