Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/1087
Título: Relações de conhecimento consultor organizacionalcliente à luz da Biologia do Conhecer: uma reinterpretação para desfazer mal-entendidos correntes
Autor(es): Lima Moura, Guilherme
Palavras-chave: Administração Consultoria organizacional;Relações de conhecimento Mal-entendidos , instrucionismo e representacionismo;Teoria da Biologia do Conhecer Implicações para os estudos organizacionais
Data do documento: 2005
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Lima Moura, Guilherme; Lincoln Carneiro Leão de Mattos, Pedro. Relações de conhecimento consultor organizacionalcliente à luz da Biologia do Conhecer: uma reinterpretação para desfazer mal-entendidos correntes. 2005. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Administração, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2005.
Resumo: Esta dissertação de mestrado tem como fenômeno de estudo a relação consultor organizacional-cliente, entendida como uma relação de conhecimento. O problema de pesquisa são os mal-entendidos na compreensão desta relação pelos seus participantes, em particular no que tange às expectativas do cliente por receber um tipo específico de conhecimento que, para ele, deveria proceder do consultor coisa em que este também acredita. A perspectiva teórica é a Biologia do Conhecer, teoria desenvolvida por Humberto Maturana e Francisco Varela, a partir de pesquisas científicas no campo da neurofisiologia e da citologia, nas décadas 60 a 80 do século passado, e que tem sido objeto de grande interesse para as ciências biológicas em geral e para a filosofia do conhecimento. De suas pesquisas se originaram conclusões muito particulares sobre o sistema nervoso dos seres vivos e, conseqüentemente, novas idéias sobre percepção, cognição, ambiente, interação, aprendizagem e conhecimento, com grandes implicações para os Estudos Organizacionais. O trabalho de campo ouve o que têm a dizer consultores e clientes sobre a consultoria organizacional como uma relação de conhecimento. Propõe-se uma reinterpretação do problema, elaborada basicamente como uma resposta à pergunta: o que a Biologia do Conhecer teria a dizer a consultores e clientes, sobre mal-entendidos em suas relações de conhecimento? . Obteve-se da teoria, como resposta, a negação do instrucionismo, considerado por ela uma impossibilidade biológica, e a ênfase à condição autopoiética do conhecimento que também entre consultores e clientes implica, fundamentalmente, assunção do processo de aprendizagem por parte de quem conhece, já que conhecimento extraído do interlocutor é situação irreal
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/1087
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Administração

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo1488_1.pdf621,15 kBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.