Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/10805
Título: Acurácia da pletismografia optoeletetrônica no diagnóstico da asma induzida pelo exercício em crianças asmáticas em idade escolar
Autor(es): FEITOSA, Larissa Andrade de Sá
Palavras-chave: Sensibilidade e especificidade; Asma induzida pelo exercício; Diagnóstico; Pletismografia; Oxido nítrico
Data do documento: 15-Mar-2012
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Acurácia da Pletismografia Optoeletrônica no Diagnóstico da Asma Induzida pelo Exercício em Crianças Asmáticas em Idade Escolar/ Larissa Andrade de Sá Feitosa
Resumo: A asma induzida pelo exerc cio (AIE) e o broncoespasmo induzido por exerc cio (BIE) s o conhecidos como obstru es transit rias das vias a reas que ocorrem logo ap s o exerc cio vigoroso, sendo seus principais sintomas a dispn ia, a tosse, o sibilo e a constric o tor cica. O diagn stico da AIE e BIE demonstrado atrav s da espirometria, quando se compara os valores de repouso com os valores ap s o exerc cio. Por m, para atingir os crit rios de qualidade a realiza o da manobra de espirometria deve ser realizada somente por indiv duos cooperativos. Nesse contexto, o objetivo geral dessa disserta o foi o de avaliar a acur cia da pletismografia optoeletr nica (POE) no diagn stico da AIE em crian as asm ticas em idade escolar. O artigo 1 teve como objetivo avaliar a acur cia da POE no diagn stico da AIE. Este foi um estudo de acur cia. Foram avaliadas 45 crian as com diagn stico de asma. Inicialmente foram realizadas as grava es atrav s da POE seguidas das manobras de espirometria for ada. Ap s realiza o do teste de broncoprovoca o em esteira os dois testes foram realizados novamente no 5 , 10 , 15 , 20 e 30 minuto. O ponto de corte de 10% de queda do volume expirat rio for ado no primeiro segundo em rela o ao valor basal foi utilizado para diagn stico da AIE. Das 40 crian as que permaneceram at o final do estudo, 16 (40%) tiveram AIE. De acordo com a curva ROC, o ponto de corte de 0,185% para o volume expirat rio final da caixa tor cica forneceu uma sensibilidade m dia (IC 95%) de 93,75% (0,69-0,99) para uma especificidade de 83,33% (0,63-0,95). A rea abaixo da curva ROC foi de 0,93 (0,85-1,00) para p<0,001. O valor preditivo positivo foi de 78,95% (54,43%-93,95%) e o valor preditivo negativo foi de 95,24% (76,18-99,88). Portanto, a POE pode ser utilizada com acur cia para substituir a espirometria nos indiv duos que n o sejam capazes de realizar as manobras de espirometria adequadamente. O artigo 2 teve como objetivo avaliar a acur cia do xido n trico exalado (ONe) no diagn stico do BIE atrav s de uma revis o sistem tica. Foi realizada uma busca por dois pesquisadores independentes nas bases de dados PubMed, Lilacs, SciELO e SCOPUS. Foram utilizadas combina es de palavras que inclu ssem as palavras broncoespasmo induzido por exerc cio, xido n trico exalado e diagn stico. Foram encontrados 56 artigos e ap s as exclus es pelo t tulo, resumo e texto, restaram 6 artigos para an lise. Quatro estudos encontraram valores preditivos negativos acima de 88%, j o valor preditivo positivo deste teste variou de 16% a 100%. A medida do ONe poder ser uma ferramenta segura para evitar o teste de exerc cio nos casos negativos, reduzindo o impacto individual e econ mico dessa afec o.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/10805
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Fisioterapia

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação_Larissa_Feitosa.pdf829,04 kBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons