Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/10720
Title: Influência da sazonalidade sobre a fenologia e oferta de frutos em Buíque - Pernambuco
Authors: Fonseca, Christianne Farias da
Keywords: Buíque (PE);Sazonalidade;Fenologia;Frutos;Consistência;Dispersão
Issue Date: 31-Jan-2012
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: FONSECA, Christianne Farias de. Influência da sazonalidade sobre a fenologia e oferta de frutos em Buíque - Pernambuco. Recife, 2012. 127 folhas : Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Pernambuco. CFCH. Programa de Pós-Graduação em Geografia, 2012.
Abstract: Buíque é considerado um Complexo Vegetacional por possuir exemplares de ambientes úmidos e secos. Localiza-se no Agreste pernambucano, está inserido na unidade geoambiental do Planalto da Borborema, que é composta por maciços e outeiros altos; já no centro e a noroeste de Buíque encontram-se a Depressão Sertaneja e a Bacia Sedimentar do Jatobá. Com clima semiárido de baixas latitudes, responsável por grande parte da vegetação Caatinga, em outros pontos de Buíque a vegetação é mais densa, diversificada em número de espécies e famílias também ocorrentes em Mata Atlântica, como Myrtaceae (Psidium sp., Eugenia sp.) e Sapindaceae (Matayba sp.), encontradas com frequência em Buíque Centro. Foram analisadas quatro localidades: Amaro, Ponta da Vagem, Brejo São José/Sítio Alcobaça e Buíque Centro, com precipitações anuais que variaram de 436, 676, 674, 845 mm, respectivamente, com o objetivo de analisar e correlacionar os eventos fenológicos dos frutos e climáticos, tendo como base as bibliografias existentes, assim como os dados de precipitação e observações mensais de campo, realizadas de junho de 2010 a maio de 2011. Constatou-se que os frutos carnosos e zoocóricos ocorreram com maior representatividade em ambientes mais úmidos, como Buíque Centro 64,5% e Brejo São José/Sítio Alcobaça 45,5%. Em contrapartida os secos de dispersão abiótica representaram 54% no Amaro e 60% na Ponta da Vargem. As famílias mais representativas nas áreas mais úmidas foram: Myrtaceae, Leguminosae, Rubiaceae. Nas demais áreas, Leguminosae, Cactaceae e Euphorbiaceae. Os tipos de frutos em destaque foram legume, esquizocarpo, bacóide melanídio, cápsula e seus subtipos e, folículo. A maioria das espécies frutificou no período chuvoso e, no final da estação chuvosa para a seca, as de fruto carnoso, zoocórico dispersaram, principalmente, no período chuvoso. Por outro lado, as espécies de fruto seco abiótico dispersaram no final do período seco início do chuvoso. Com relação ao porte e a dispersão, em áreas mais úmidas, as arbóreas são mais freqüentes no dossel superior e dispersas elementos bióticos. Porém, em ambientes mais secos as plantas mais emergentes são geralmente arbóreas e dispersas por elementos abióticos. Este trabalho pode ser considerado relevante, pois comprova a classificação de Buíque como Complexo Vegetacional, visto que, foram encontrados exemplares botânicos de ambientes úmidos e secos em uma mesma área de estudo e, de que a sazonalidade das precipitações influencia de modo significativo nos ciclos de vida das plantas localizadas nas quatro localidades estudadas.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/10720
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Geografia



This item is protected by original copyright



This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons