Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/10671
Title: Estudo de Pré-formulação da Ivermectina: Caracterização e Estabilidade do Fármaco
Authors: SANTOS, Flávia Cássia Maria dos
Keywords: Ivermectina;Propriedades Físico-químicas;Estudo de Estabilidade Forçada
Issue Date: 31-Jan-2013
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Abstract: A ivermectina (IVC) é um fármaco utilizado com objetivo de interromper a transmissão do parasito e erradicar as microfilárias. A filariose é uma doença endêmica, considerada potencialmente erradicável pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Apesar disso, o índice de resistência ao tratamento individual é grande, sendo recomendado um tratamento em massa da população em áreas endêmicas com doses individuais de IVC. Na terapia em massa, a ingestão prolongada deste fármaco pode levar ao seu acúmulo no organismo, podendo esse sofrer uma série de reações inesperadas em condições orgânicas como oxidações, hidrólises ácidas, básicas ou neutras, podendo ainda em condições de armazenamento e estocagem, sofrer termo e fotodegradação. Diante do exposto, o objetivo deste trabalho foi realizar o estudo de caracterização e estudo de degradação da IVC. Apesar do seu uso consagrado no tratamento da filariose linfática, pouco se sabe a respeito de sua estabilidade. Inicialmente obtiveram-se vários perfis analíticos como: perfis térmicos, difratométricos, morfológicos e reológicos, através de técnicas específicas e o estudo de degradação. Utilizando as técnicas supracitadas foi possível realizar um estudo de compatibilidade IVC: excipientes (utilizados em formas farmacêuticas sólidas), que demonstrou uma incompatibilidade da IVC com lactose e amido. Com base nesses resultados o desenvolvimento de novas formas farmacêuticas, bem como o controle de qualidade das formas já existentes no mercado pode ser realizado de forma mais racional, com um melhor entendimento das características da IVC. O estudo de degradação foi realizado pela aceleração das reações de degradação do fármaco IVC utilizando condições de estresse hidrolítico básico (NaOH 1M) ácido (HCl 1M), neutro (H2O), oxidativo (H2O2 3%) e fotolítico (com associação de lâmpadas ultravioleta e branca fria) as quais foram avaliadas por CLAE-DAD Não foi possível calcular as cinéticas de degradação da IVC sob condições hidrolíticas, devido ao período de tempo avaliado, mas, como houve decaimento expressivo da IVC quando submetida a fotodegradação pode-se calcular a cinética de primeira ordem para esta condição. Comprimidos de IVC e uma formulação líquida (solução oral manipulada) foram submetidos a estudos de estabilidade acelerada por 3 meses e apresentaram decaimento significativo com o aparecimento de PDs, sem a possibilidade de quantificação relativa devido a co-eluição dos PDs da IVC no método desenvolvido.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/10671
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Ciências Farmacêuticas

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertação Flávia dos Santos.pdf1.46 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons