Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/1067
Título: Uso de ovitrampas como instrumento para o monitoramento populacional de Aedes aegypti (Diptera:Culicidae) em áreas urbanas de Olinda
Autor(es): Vanessa Gomes da Silva, Éllyda
Palavras-chave: Aedes; Monitoramento; Ovitrampa; Bti; Sistema alternativo; Contagem de ovos.
Data do documento: 31-Jan-2009
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Vanessa Gomes da Silva, Éllyda; Flavia Junqueira Ayres, Constância. Uso de ovitrampas como instrumento para o monitoramento populacional de Aedes aegypti (Diptera:Culicidae) em áreas urbanas de Olinda. 2009. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Biologia Animal, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2009.
Resumo: Este estudo avaliou a efetividade do monitoramento populacional de Aedes aegypti por armadilhas de oviposição (ovitrampa), em Olinda-PE, e propôs um sistema alternativo para estimativa de ovos nas armadilhas. Nos bairros de Bultrins, Amparo e Amaro Branco foram instaladas 102 ovitrampas-sentinelas (OVT-S), de novembro/2007 a outubro/2008. As OVT-S, tratadas com larvicida a base de Bacillus thuringiensis israelensis (Bti), permaneceram fixas nas áreas, sendo inspecionadas a cada ciclo de 30 dias. As palhetas recolhidas em campo foram enviadas ao laboratório para secagem, a temperatura ambiente, e posterior leitura ao microscópio esterioscópico para contagem de ovos. Dois métodos foram testados, o Sistema Tradicional de contagem (STC), baseado na contagem direta de cada ovo e o Sistema Simplificado de Leitura (SSL), baseado na estimativa visual da quantidade de ovos/palheta, nas seguintes categorias pré-definidas (<50 ovos, &#8805;50<200 ovos, &#8805; 200<500 ovos e &#8805;500 ovos). Os resultados do monitoramento revelaram que o Índice de Positividade de Ovitrampas (IPO) para a área variou de 85% a 100% e não diferiu estatisticamente entre os bairros. O número médio de ovos de Aedes spp oscilou de 100,2 a 783,2 ovos/OVT-S/ciclo. Pela análise de amostras pareadas, a densidade populacional de Aedes spp. obtida para Amaro Branco foi significativamente maior (Fr = 8,18; Gl= 2 e p-valor= 0,0169) do que a de Bultrins. Os mapas situacionais de densidade de ovos gerados pela estimativa Kernel permitiram visualizar a na distribuição heterogênea da infestação por Aedes spp. nos bairros estudados e revelou que as densidades populacionais do mosquito foram mais elevadas no período de maior concentração de chuvas (março a agosto/2008). A análise espaçotemporal demonstrou que cada bairro apresentou um padrão peculiar de pontos quentes (local de grande concentração populacional do mosquito), que se manteve em quase todos os períodos de avaliação, independente do regime pluviométrico, sugerindo que estes pontos possam apresentar condições mais favoráveis aos criadouros larvais do que os demais espaços dos bairros. A infestação pareceu estar mais concentrada na porção terminal sul em Amparo, enquanto que em Amaro Branco os pontos quentes avançaram da ponta sul ao centro da área e em Bultrins estavam ainda mais dispersos pelo bairro. O comportamento observado para Bultrins concorda, de certa forma, com as informações geradas pelos indicadores entomológicos usados para estimar o percentual de imóveis positivos para A.aegypti, adotados pelo Programa nacional (PNCD). Por outro lado, estes mesmos indicadores não tiveram sensibilidade para detectar a presença de Aedes albopictus nos três bairros estudados, fato confirmado pela pesquisa com ovitrampas. A identificação de larvas a partir de ovos coletados nas ovitrampas demonstrou, entretanto, que A. aegypti era a espécie mais freqüente (95%) e abundante nos bairros. Os resultados de leitura pelos dois sistemas foram concordantes para 96% das palhetas analisadas. Os operadores levaram respectivamente, cerca de 50 s e 8 min. para ler uma palheta com 63 e 980 ovos pelo sistema tradicional contagem (STC) e um tempo de 36 s e 21 s pelo SSL. O monitoramento OVT-S acoplado ao sistema SSL se mostrou de um método sensível e de simples operacionalização para a vigilância de A. aegypti. Adicionalmente, a metodologia usada neste estudo permitiu identificar áreas prioritárias em Olinda, onde as ações de controle vetorial devem ser intensificadas
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/1067
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Biologia Animal

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
EVGS - PROTEGIDO.pdf2,07 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.