Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/10660
Título: Nas sombras da contemporaneidade : da biopolítica à tanatopolítica
Autor(es): Nascimento, Germana da Silva
Palavras-chave: Biopolítica; Banalidade do mal; Tanatopolítica; Estado de exceção.; Homo sacer; Vida nua; Michel Foucault; Hannah Arendt; Giorgio Agamben
Data do documento: 31-Jan-2012
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: NASCIMENTO, Germana da Silva. Nas sombras da contemporaneidade: da biopolítica à tanatopolítica. Recife, 2012. 106 folhas ; Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Pernambuco. CFCH. Programa de Pós-Graduação em Filosofia, 2012 .
Resumo: A ultrapassagem do conceito de biopolítica para o de tanatopolítica acompanha o desconcerto da nossa atualidade política. A biopolítica entendida por Michel Foucault é uma tecnologia de poder cuja ação estende-se tanto aos indivíduos isoladamente quanto à população como um todo. A partir das investigações promovidas por Foucault acerca da biopolítica trouxemos ao debate a tematização de Hannah Arendt sobre a banalidade do mal, posto que encontramos simetria entre o modo de gerência característico da biopolítica e a consequente formação de subjetividades tendenciosas à obediência irrestrita e, como consequência, descomprometidas com a atividade de pensar. Junto a estas análises acrescentamos às reflexões o panorama teórico de Giorgio Agamben quando trata da nossa contemporaneidade ao inaugurar uma nova representação ao trazer à luz a exceção característica do nosso fazer político e sua produção de hominissacri e vidas nuas.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/10660
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Filosofia

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Germana_dissert.pdf571,84 kBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons