Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/10633
Title: O significado das lutas populares pelo território urbano em Cali, na Colômbia: um estudo das dimensões sociopolíticas do assentamento de Polvorines
Authors: Varela, Ancizar Castro
Keywords: Sistema mundo capitalista;Industrialização-urbanização;Migração-deslocamento;Questão urbana;Comunidade e trabalho comunitário
Issue Date: 26-Apr-2012
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: VARELA, Ancizar Castro. O significado das lutas populares pelo território urbano em Cali, na Colômbia: um estudo das dimensões sociopolíticas do assentamento de polvorines. Recife, 2012. 151 f. Tese (doutorado) - UFPE, Centro de Ciências Sociais Aplicadas, Programa de Pós-graduação em Serviço Social, 2012.
Abstract: Este estudo analisa o significado das práticas coletivas desenvolvidas por setores populares, em processos de ocupação, levados a cabo nas áreas “periurbanas” da cidade de Santiago de Cali-Colômbia. Para obter dito objetivo estabelecemos um diálogo com a literatura especializada para construir o marco conceitual que nos permitiu compreender as contradições, mediações e determinações do nosso objeto de estudo, o qual abordamos articulando sua singularidade histórica com a dinâmica da totalidade social, delimitada espaço-temporalmente. Para avançar nesta direção, de aproximação à nossa complexa e contraditória realidade determinada historicamente, nos apoiamos no “arsenal” teórico brindado por críticos marxistas, para compreender os processos de transformação socioeconômica e política do atual sistema capitalista. Nessa linha de pensamento, entendemos a realidade social, nos termos sugeridos por Marx, ou seja, “O concreto é concreto, porque é a síntese de muitas determinações, isto é, unidade do diverso”. Como percurso metodológico, realizamos uma pesquisa documental, cujas fontes foram estudos técnicos, monografias, jornais, boletins, entre outros. E uma pesquisa de campo, realizada na zona de ladeira da cidade de Cali-Colômbia, durante os períodos de maio-junho de 2010 e dezembro-fevereiro de 2011, quando foram entrevistados os primeiros moradores e lideranças que se assentaram na ocupação do bairro Polvorines. Como aquela liderança que se instalou nos organismos de representação criados pelo Estado – Junta de ação comunal –, para participar do desenvolvimento comunitário. O estudo permitiu compreender, sem desconhecer as respectivas mediações entre o movimento do capital como um todo e a particularidade histórica de nossa sociedade, como sua dinâmica tem sido fortemente marcada pelos ciclos de expansão e “contração” do capital. O que tem gerado um incessante processo de configuração e reconfiguração dos nossos territórios, a partir da intensificação e extensão das relações do capital, com seu respectivo domínio de classe, em áreas geográficas que, outrora, estavam por fora de seu alcance. Igualmente, permitiu identificar algumas de suas estratégias para conseguir o que foi e continua sendo a acumulação originária, ou pela via da expropriação, pois esta não se limitou a se instalar no início do capital, mas é parte inerente de seu desenvolvimento e continua sendo implementada, de maneira sistemática e contínua, no território colombiano. O que vem gerando, com maior ênfase, desde meados da década de 50 até nossos dias, um processo de migração e deslocamento forçado da população do campo para a cidade. Neste sentido, as cidades colombianas têm se configurado, de maneira significativa graças à violência empreendida contra a população campesina indefesa que forjou suas vidas em zonas de colonização agrárias que, posteriormente, iniciaram sua itinerante busca nas cidades, para encontrar um “lugar” onde refazer suas vidas, tanto em termos individuais como coletivos. A pesquisa também permitiu conhecer que a população que levou a cabo o processo de assentamento no bairro Polvorines, o fez sob a dupla modalidade de urbanização pirata e ocupação, realizadas em áreas “periurbanas” da cidade de Cali. Onde se desenvolveram práticas coletivas que estiveram orientadas a satisfazer necessidades humanas básicas. Neste sentido, a construção de unidade de ação não esteve determinada por um “discurso ideo-político” que as norteara, sendo o fundamental a adversidade compartilhada em uma área territorial delimitada. Sobre as formas organizativas, se caracterizaram por serem espontâneas as que foram simultaneamente “sujeitos coletivos e cenários” os quais contribuíram para reforçar vínculos em termos sociais, mas não “políticos”. Neste sentido, as relações de parentesco e vizinhança tiveram um papel chave graças à proximidade física-territorial. Igualmente, o estudo demonstrou que a interação da Junta de ação comunal com o Estado, desempenhou um papel importante como engrenagem para estabelecer vínculos de clientela e manipulação política com a população. O que teve um forte impacto nas formas organizativas espontâneas da população de Polvorines. As quais como mecanismo de resistência, têm reagido redobrando-se ao âmbito familiar e à proximidade físico-social, como a vizinhança. Consideramos a partir do anterior que está emergindo nestes processos de assentamento “periurbanos” uma maneira de dispersão social, que corre o risco de atomizar-se sócio politicamente, o que termina sendo funcional à reprodução do sistema dominante.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/10633
Appears in Collections:Teses de Doutorado - Serviço Social

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TESES Doutorado em Serviço Social Ancizar Castro Varela 2014.1.pdf1.69 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons