Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/10605
Título: Descrição morfométrica, análise parasitológica e histológica do intestino do carcará (caracara plancus, miller, 1777).
Autor(es): FRAGA, Kléber Botelho
Palavras-chave: Aves; Falconiforme; Morfologia digestiva,; Caracara; Parasito
Data do documento: 31-Jan-2013
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: FRAGA, Kléber Botelho. Descrição morfométrica, análise parasitológica e histológica do intestino do carcará (Caracara plancus, Miller, 1777). Vitória de Santo Antão, 2013. 53 f. Dissertação (mestrado) - UFPE, Centro Acadêmico de Vitória, Programa de Pós-graduação em Saúde Humana e Meio Ambiente, 2013. .
Resumo: O carcará é uma ave de rapina, que habita o território brasileiro. Dada sua ampla distribuição e grande importância sob o ponte de vista ecológico, objetivou-se descrever a morfometria, analisar histologicamente os intestinos, divertículo vitelínico, cecos, reto e cloaca, e parasitologia das fezes. Portanto, foram utilizados 12 carcarás provenientes do Centro de Triagem de Animais Silvestres, CETAS – IBAMA de Pernambuco. Para a parasitologia as fezes foram coletadas e processadas pelo método de Hoffman simples. Na morfometria os intestinos foram pesados e medidos com uso de paquímetro. Na histologia o duodeno, jejuno, íleo, reto e cloaca foram divididos em porções proximal, média e distal, fixados em formol neutro tamponado a 10%, processados histoquimicamente e analisados ao microscópio óptico. A análise morfométrica verificou que o intestino delgado é extenso e possui cecos pequenos. Nas fezes foram encontrados cristais de ácido úrico e ovos de platelminto do gênero Fascíola. Nas lâminas histológicas, as vilosidades possuem um epitélio simples colunar com microvilosidades, células caliciformes e enteroendócrinas nas glândulas intestinais. A lâmina própria contém muitos linfócitos e a muscular da mucosa está disposta em sentido longitudinal. A camada muscular possui dois estratos: interno com sentido circular e externo com sentido longitudinal. A serosa é constituída por um mesotélio, vasos sanguíneos, nervos e tecido adiposo. A camada submucosa está ausente. Observou-se pregas longitudinais no ceco e reto. Conclui-se que o intestino delgado é relativamente extenso, principalmente no íleo, e histologicamente bem adaptado para suprir suas necessidades, devido à presença de longas vilosidades, aumentando significativamente a absorção de nutrientes, além de possuírem mecanismos contra agentes infecciosos como nódulos linfáticos e células imunológicas.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/10605
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Saúde Humana e Meio Ambiente

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISSERTAÇÃO Kleber Fraga.pdf1,46 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons