Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/10549
Título: Delimitação das Unidades Geoambientais da Bacia do rio Natuba e estimativa de estoque de carbono no Médio Natuba, Zona da Mata Centro/PE
Autor(es): SILVA, Cristiane Barbosa da
Palavras-chave: Geografia; Paisagem; Hidrografia; Agricultura Familiar; Solo-uso
Data do documento: 31-Ago-2011
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: A compreensão do comportamento e funcionamento dos diversos setores da paisagem possibilita apontar diretrizes para o uso do solo, evitando e/ou minimizando impactos ambientais negativos tais como erosão e enchentes entre outros. O objetivo deste trabalho foi estimar os estoques de carbono nas unidades geoambientais da bacia do rio Natuba, Zona da Mata Centro de Pernambuco. Para isto, foram feito mapeamento morfoestrutural e análise morfométrica para subsidiar a delimitação das unidades. Foram delimitadas oitos Unidades Geoambientais: Canha, Chã dos Patinhos, Divina Graça, Mocotó, Natuba, Pacas, Ronda e Serra Grande. Considerando - se os dados de Geologia, Geomorfologia, Pedologia, Clima, movimento das águas nos diferentes ambientes, Uso do solo e Cobertura Vegetal. A unidade Chã dos Patinhos apresenta maior concentração de processos erosivos. Observou - se nas diferentes unidades presença de queimadas e/ou excesso de água durante a irrigação. Quanto aos usos mais expressivos e a posição na paisagem, selecionou-se 5 unidade Geoambientais para determinação do estoque de carbono orgânico no solo. Esses valores de carbono foram comparados com os de uma área adjacente, sob vegetação nativa. Exceto as várzeas porque estavam ocupadas com agricultura familiar. A área de topo da unidade Serra Grande apresentou menor estoque de carbono em relação às outras unidades, quando se comparou o COT da área de cana-de-açúcar com a de mata as diferenças foram menos acentuadas devido ao tratamento que é dado ao solo em áreas de monocultivo. Dentre as três encostas avaliadas, Mocotó mostrou-se mais preocupante, na camada de 0 - 5 cm a queda foi de 41% possivelmente associada à alta declividade, uso intensivo e excesso de irrigação. A estimativa do estoque de carbono mostrou-se eficiente para o entendimento das paisagens geoambientais.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/10549
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Geografia

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação Cristiane Barbosa da Silva.pdf10,53 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons