Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/10460
Título: Caracterização de minerais pesados e avaliação da radioatividade natural “IN SITU” em sedimentos praiais de Acaú, Carne de Vaca e Ponta de Pedras do Estuário do Rio Goiana
Autor(es): França, Patrícia Pereira de
Palavras-chave: Minerais pesados; Sedimentos praiais; Radioatividade natural; Litoral norte de Pernambuco
Data do documento: 5-Jul-2013
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: A área estudada abrange as praias situadas ao sul (Carne de Vaca e Ponta de Pedras, Estado de Pernambuco) e ao norte (Acaú, Estado da Paraíba) da desembocadura do rio Goiana. O trabalho teve como objetivo caracterizar os minerais pesados presentes nos sedimentos praiais, bem como avaliar o risco ambiental promovido pela radioatividade natural destes sedimentos. As amostras foram coletadas em 12 estações ao longo do estirâncio e com intervalos de aproximadamente 1 km entre elas, sendo em algumas coletadas amostras nos leitos com maior concentração de minerais pesados, em diferentes profundidades, totalizando 19 amostras. Foi utilizado um cintilômetro portátil para análise radiométrica in situ dos sedimentos (contagem total em cps). As amostras foram bateadas no campo, e os concentrados de minerais pesados tiveram identificação mineral com auxílio de lupa binocular em laboratório. Posteriormente, grãos minerais representativos dos encontrados foram selecionados para imageamento e análises químicas semi-quantitativas pontuais no MEV-WDS. Em todas as praias estudadas, a associação mineral é composta basicamente por ilmenita, cianita, zircão, turmalina, epidoto, rutilo, porém outras espécies minerais foram encontradas em concentrações menores que 5%, sendo estes minerais: estaurolita, granada, sillimanita, espodumênio e xenotímio. Sugere-se, então, que estes minerais pesados podem ser provenientes dos terrenos cristalinos pré-cambrianos (e.g. zircão, rutilo, ilmenita e xenotímio, de rochas ígneas; cianita, estaurolita, granada e sillimanita, de rochas metamórficas), ou dos sedimentos continentais da Formação Barreiras (foi encontrada diversidade mineral similar em amostra de rocha analisada dessa formação em falésia da praia de Ponta de Pedras). Os valores da radioatividade natural medida in situ variaram de 0 a 350 cps. Seus valores crescem à medida que se afasta do estuário e se aproxima da Praia de Ponta de Pedras, local onde foi registrada a maior concentração de minerais pesados das praias estudadas. Pode-se dizer que alguns dos minerais investigados, como o zircão e o xenotímio, são os mais prováveis responsáveis pela radioatividade natural, já que esses apresentaram elementos químicos radioativos como U e Th em sua composição química.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/10460
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Geociências

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISSERTAÇÃO Patrícia Pereira de França.pdf2,87 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons