Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/1044
Título: Diferenciação morfológica nas espécies de Artibeus Leach, 1821 do Brasil (Chiroptera: Phyllostomidae)
Autor(es): LIRA, Thaís de Castro
Palavras-chave: Morfometria geométrica;Phyllostomidae;Artibeus
Data do documento: 31-Jan-2010
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: de Castro Lira, Thaís; Astúa de Moraes, Diego. Diferenciação morfológica nas espécies de Artibeus Leach, 1821 do Brasil (Chiroptera: Phyllostomidae). 2010. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Biologia Animal, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2010.
Resumo: Das aproximadamente 22 espécies do gênero Artibeus, nove ocorrem no Brasil: quatro dos pequenos Artibeus, subgênero Dermanura (A. anderseni, A. cinereus, A. glaucus, A. gnomus), quatro dos grandes , subgênero Artibeus (A. fimbriatus, A. lituratus, A. obscurus, A. planirostris) e o intermediário , subgênero Koopmania: A. concolor. A definição das espécies e as relações entre elas não é senso comum. Aqui a forma do crânio e mandíbula das nove espécies foi comparada através da morfometria geométrica. Foram fotografadas cinco vistas: dorsal, lateral e ventral do crânio e dorsal e lateral da mandíbula com 17, 35, 28, 16 e 12 marcos anatômicos, respectivamente, que foram submetidos à Superimposição Generalizada de Procrustes. As variáveis de forma foram comparadas usando Análises de Variáveis Canônicas. Não houve dimorfismo sexual significativo, então os sexos foram agrupados. Foi possível separar as espécies de Artibeus do Brasil por tamanho e principalmente pela forma. Artibeus lato sensu parece ter evoluído da menor forma para a maior. Houve clara distinção entre os três subgêneros de Artibeus lato sensu e contrário às filogenias atuais, Koopmania se mostra mais próximo a Dermanura que a Artibeus. Dentro de Artibeus os resultados concordam com estudos morfológicos e morfométricos anteriores e destaca A. lituratus e A. obscurus como as espécies mais diferenciadas. Em Dermanura, A. anderseni tem maior diferenciação e sua relação com as demais espécies não segue os padrões da filogenia molecular. Os resultados mostraram que a morfometria geométrica é útil como ferramenta adicional para discriminação das espécies de Artibeus ainda que as restantes necessitem ser analisadas para resultados mais conclusivos sobre a diferenciação de forma dentro do gênero como um todo
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/1044
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Biologia Animal

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo3014_1.pdf3,58 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.