Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/10315
Title: Avaliação da atividade anti-histamínica do extrato seco da casca de Schinus terebinthifolius Raddi (Anacardiaceae)
Authors: NUNES NETO, Paulo Alexandre Nunes
Keywords: Schinus terebinthifolius;Anacardiaceae;Anti-histamínico;Íleo de cobaia;Edema de pata
Issue Date: 31-Aug-2012
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: NUNES NETO, Paulo Alexandre. Avaliação da atividade anti-histamínica do extrato seco da casca de Schinus terebinthifolius Raddi (Anacardiaceae). Recife, 2012. 73 f. Dissertação (mestrado) - UFPE, Centro de Ciências da Saúde, Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas, 2012..
Abstract: Schinus terebinthifolius Raddi (Anacardiaceae), popularmente conhecida como "Aroeira", é encontrada em todo o litoral brasileiro e tem sido usada na medicina tradicional, principalmente no tratamento de alterações de origens inflamatória, gástrica e respiratória. Esse estudo avaliou a possível atividade anti-histamínica do extrato hidroalcoólico da casca do caule de Schinus terebinthifolius (St). Nesse sentido, ensaios in vitro de curvas concentração-efeito (CCE) simples ou cumulativas foram obtidas para histamina, carbacol ou KCl na ausência ou presença de St no íleo isolado de cobaia (Cavia porcellus). Em outro protocolo, ratos Wistar (Rattus norvegicus) foram usados para indução do edema de pata por histamina. Os resultados mostram que o extrato de St (250, 500 e 1000 μg/mL) reduziu estatisticamente a curva de contração simples para histamina em 9,1 ± 1,8; 50,2 ± 2,0 e 68,9 ± 2,0%, respectivamente. Contudo, não houve inibição das respostas contráteis produzidas por carbacol e KCl. O anti-histamínico H1, hidroxizina (0,125 e 0,250 μM), inibiu significativamente as respostas da histamina (25,9 ± 3,1 e 51,2 ± 3,0%, respectivamente), mas não interferiu com as contrações por carbacol e KCl. A associação de St com hidroxizina (250 + 0,125 e 500 μg/mL + 0,250 μM) causou uma potenciação significativa do efeito inibitório para 67,0 ± 3,2 e 85,1 ± 2,1%, respectivamente. Nas CCE cumulativa para histamina, o extrato de St (250 μg/mL) produziu significativo deslocamento à direita, característico de antagonismo do tipo competitivo, enquanto que em concentrações maiores (500 e 1000 μg/mL) induziu, além do desvio a direita, redução do efeito máximo para 65,7 ± 1,9 e 49,4 ± 2,5%, respectivamente. No edema de pata por histamina, o extrato de St (100, 200 e 400 mg/kg) produziu inibição significativa de 33,9; 48,4 e 54,8%, respectivamente, no pico do edema (1h), enquanto que a hidroxizina (70 mg/kg) inibiu 56,5%. O conjunto dos resultados sugere possível ação anti-histamínica (H1) do extrato da casca de Schinus terebinthifolius evidenciada pelo antagonismo das respostas contráteis induzidas por histamina em íleo de cobaia e pela inibição do edema de pata.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/10315
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Ciências Farmacêuticas

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Paulo Alexandre Nunes Neto - Dissertação de Mestrado em Ciên.pdf1.9 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons