Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/10298
Title: Representações sociais de velhice por diferentes grupos etários: analisando estruturas e processos
Authors: ANDRADE, Danyelle Almeida de
Keywords: Representações Sociais;Velhice;Desenvolvimento humano
Issue Date: 25-Feb-2014
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Abstract: O fenômeno mundial de envelhecimento populacional, que altera a forma da pirâmide etária de uma população, motiva o interesse científico para a temática do envelhecimento. As consequências desse fenômeno repercutem em todos os segmentos da sociedade, que se depara com um desafio, frente às necessidades desse grupo etário emergente. Diante desta nova realidade, um dos desafios diz respeito às práticas sociais decorrentes de modos de conceber a velhice. As representações sociais podem ser consideradas como um modo de pensamento de sociedades ou grupos. Essa perspectiva teórica debruça-se sobre a construção de teorias do senso comum ou os saberes socialmente compartilhados. Esta pesquisa teve o objetivo de analisar as representações sociais de velhice por diferentes faixas etárias. Para isto dois estudos foram realizados. O primeiro buscou analisar a estrutura da representação de velhice para três grupos etários (crianças, jovens/adultos e idosos). Participaram deste estudo 145 sujeitos, que responderam um questionário de caracterização e associação livre de palavras. Os dados do questionário foram analisados através da estatística descritiva e as evocações foram analisadas com o auxilio do software EVOC. A velhice, para as crianças, está intimamente relacionada a uma fase da vida envolta de dependência, doenças e à imagem de seus avós. Para os jovens e adultos, o núcleo central da representação social de velhice é composto por elementos que enfatizam qualidades e ganhos, enquanto que a primeira e segunda periferia são compostas predominantemente por aspectos negativos e de perdas. Para os idosos há um maior equilíbrio entre elementos positivos e negativos. O segundo estudo investigou as características dos processos utilizados por cada faixa etária. Para isto três sujeitos foram entrevistados, cada um pertencendo a um grupo etário do estudo anterior. Os conteúdos das entrevistas foram categorizados em torno de quatro eixos, que variam sobre a saúde/doença, a dependência/autonomia, a solidão/contato social e a exclusão/inclusão social. Quanto aos processos, os resultados deste estudo reafirmaram alguns pontos do estudo anterior. A criança apresentou uma visão mais concreta e objetivada da velhice, construída a partir dos elementos de seu cotidiano e relações com pessoas idosas. A jovem adulta, por sua vez, representou a velhice a partir de elementos que constituem o ideal de uma velhice bem sucedida, com uma maior ênfase nos aspectos positivos dessa faixa etária. Enquanto a idosa, ao falar do seu cotidiano, apresenta suas queixas e estratégias para lidar com as perdas e limitações. Identificam-se algumas características para cada faixa etária: para as crianças os elementos funcionais da representação demostraram maior importância, ao passo que para os jovens, adultos e idosos houve predominância de elementos normativos. As crianças se limitam à descrição da velhice através de elementos concretos, apontando para uma representação social em construção. Os jovens/adultos se apoderam do modelo da velhice bem-sucedida para representa-la, ao passo que a representação dos idosos envolve processos de proteção à sua identidade.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/10298
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Psicologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTAÇÃO Danyelle Almeida de Andrade.pdf1.77 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons