Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/10282
Title: Enzimas Hepáticas, Marcadores de Estresse Oxidativo e de Inflamação em Pacientes com Doença Renal Crônica em Tratamento Conservador
Authors: SETTE, Luís Henrique Bezerra Cavalcanti
Keywords: Aspartato aminotransferase;Alanina aminotransferase;Insuficiência renal crônica;Gama-glutamiltransferase;Estresse oxidativo
Issue Date: 31-Jan-2013
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Abstract: Pacientes com doença renal crônica (DRC) apresentam níveis séricos das enzimas ALT e AST diminuídas em relação aos indivíduos saudáveis o que compromete o diagnóstico, seguimento e tratamento dos pacientes com DRC e doenças hepáticas crônicas. Tem-se postulado que a gama glutamil transferase (GGT) poderia ser marcador disponível e barato na avaliação do estresse oxidativo (EO) que, associado com a inflamação e desnutrição, determinariam maior morbimortalidade em pacientes com DRC. O objetivo deste estudo foi avaliar os níveis séricos das enzimas ALT, AST e GGT, de marcadores de inflamação e de EO em pacientes com DRC em tratamento conservador. No período de setembro de 2011 a maio de 2012, foi realizado estudo com pacientes atendidos no ambulatório de DRC do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco. Os pacientes foram classificados em estágios da DRC, de acordo com a definição das diretrizes do Kidney Disease Outcomes Quality Initiative (K/DOQI). Foram dosados ALT, AST e GGT; marcadores de inflamação: proteína C reativa, ferritina e albumina e marcadores de EO: TBARS, Tiol, Catalase e Carbonil. Foram avaliados 142 pacientes com DRC apresentando idade média de 64,4 anos sendo 51,4% do sexo masculino. A média da TFG foi de 28,8 mL/min/1,73m2. Os pacientes apresentaram a seguinte distribuição conforme os estágios da DRC: 16 (11,4%) pacientes estágio 5; 69 (49,2%) estágio 4 e 55 pacientes estágio 3 (39,2%). Os níveis séricos de ALT e AST apresentaram redução proporcional à diminuição da TFG (p = 0,006 e p = 0,049, respectivamente). Houve diminuição dos níveis séricos de ALT entre os estágios iniciais quando comparados com os mais avançados da DRC (p < 0,03). Não houve associação entre os níveis séricos de GGT ou dos marcadores de EO com a TFG ou com os estágios da DRC. Entre os marcadores de inflamação, observou-se correlação direta da albumina (r = 0,26 e p < 0,001) e inversa da ferritina (r = -0,23 e p < 0,005) com a TFG, que acompanhou a progressão da DRC de acordo com os estágios.Portanto, as aminotransferases apresentaram redução dos seus níveis séricos conforme a diminuição da TFG, no entanto, os níveis de GGT não se alteraram com a evolução da DRC. Os marcadores de EO avaliados não apresentaram correlação com a TGF, mas os níveis séricos de ferritina aumentaram e de albumina diminuíram de acordo com a progressão da DRC.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/10282
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Ciências da Saúde

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTAÇAO Luís Henrique Sette.pdf1.44 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons