Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/1018
Title: Distribuição espacial e efeito de borda em briófitas epífitas e epifilas em um remanescente de floresta atlântica nordestina
Authors: Patrícia Pereira Silva, Mércia
Keywords: Dossel;Gradiente vertical;Brioflora;Conservação;Floresta Tropical
Issue Date: 31-Jan-2009
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Patrícia Pereira Silva, Mércia; Cavalcanti Pôrto, Kátia. Distribuição espacial e efeito de borda em briófitas epífitas e epifilas em um remanescente de floresta atlântica nordestina. 2009. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Biologia Vegetal, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2009.
Abstract: A composição, riqueza, e diversidade de briófitas epífitas foram estudadas em 15 forófitos de dossel em relação à distância da borda em um fragmento de Floresta Atlântica da Estação Ecológica de Murici, Alagoas (Lat. 09º11 05 09º16 48 S; Long. 35º45 20- 35º55 12 O). O fragmento apresenta 2.628ha e largura máxima de ca. 2.000m. Foram sorteados aleatoriamente em toda extensão do fragmento 15 pontos geográficos distribuídos em cinco faixas de distância (três em cada uma) em função da borda: 0-200m, 201-400m, 401-600m, 601-800m, 801-1100m. Os pontos foram localizados em campo com GPS e, em cada um, foi selecionada uma fanerógama arbórea de dossel. Os forófitos foram escalados utilizando técnicas verticais de ascensão para coleta de uma amostra de briófitas em cada uma das cinco zonas de altura: base, tronco, 1ª ramificação, 2ª ramificação e dossel externo. Os parâmetros brioflorísticos foram comparados entre as zonas de altura nos forófitos e as faixas de distância da borda através de Análise de Variância. Foram registradas 78 espécies, obtendo-se a maior riqueza e diversidade na zona do tronco. Neste inventário estimou-se 75% da representatividade da brioflora do remanescente e determinou-se que um pequeno número de forófitos não foi suficiente para a amostragem de uma real composição florística. Não foi constatada contribuição expressiva do dossel na riqueza, diversidade e na distribuição espacial das briófitas como é recorrente na literatura para Florestas Tropicais Úmidas. O dossel externo apresentou praticamente o mesmo número de espécies da base, o que demonstra que os estratos inferiores têm grande importância para a diversidade local. Não houve diferença significativa dos parâmetros brioflorísiticos entre as zonas e entre as faixas de distância da borda. Esses resultados evidenciam a não estratificação de espécies no gradiente vertical e sugerem que a distância da borda não é suficiente para explicar a distribuição da brioflora local. Este fato evidencia a elevada diversidade beta do local, ou seja, a alta substituição de espécies de um microhabitat para outro, o que é característico de Florestas Tropicais Úmidas. Sendo assim, a própria heterogeneidade ambiental do remanescente pode ser um fator importante da falta de diferenciação do gradiente vertical e entre a borda e o interior
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/1018
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Biologia Vegetal

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo7082_1.pdf1.21 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.