Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/10113
Título: Análise da radiossensibilidade de hemócitos de Biomphalaria glabrata por meio do teste do micronúcleo
Autor(es): ARAÚJO FILHO, Edvaldo Florêncio de
Palavras-chave: Bioindicadores; agentes mutagênicos; Radiação gama
Data do documento: 31-Jan-2013
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: ARAÚJO FILHO, Edvaldo Florêncio de. Análise da radiossensibilidade de hemócitos de Biomphalaria glabrata por meio do teste do micronúcleo. Recife, 2013. 38 f. Dissertação (mestrado) - UFPE, Centro de Tecnologia e Geociências, Programa de Pós-graduação em Tecnologias Energéticas e Nucleares, 2013.
Resumo: Com o crescimento demográfico resulta um aumento da poluição e consequentemente liberação de agentes mutagênicos no meio ambiente. É nessa problemática que a ecotoxicologia, com o uso de bioindicadores, vem contribuindo para a melhoria da qualidade de vida da população. O molusco Biomphalaria glabrata tem recebido destaque como bioindicador ambiental para agentes químicos e físicos por possuir características como: curto ciclo de reprodução, fácil manejo no laboratório e baixo custo de manutenção. O teste do micronúcleo têm se mostrado um ótimo ensaio para identificar os efeitos mutagênicos provocados por tais agentes. Avaliando a frequência de micronúcleos em hemócitos de Biomphalaria glabrata expostos a altas dose de radiação gama de 60Co, esperamos contribuir para uma padronização deste ensaio como indicador de contaminação radioativa em ambientes aquáticos. Moluscos adultos jovens de Biomphalaria glabrata melânicos e sexualmente maduros foram divididos em grupos e submetidos as dose controle (0 Gy), 35, 40, 45, 50, 55 e 60 Gy de radiação gama de 60Co (DEN-UFPE, taxa de dose: 5.255 kGy/h). Após 48 horas da irradiação, a hemolinfa dos moluscos foi coletada e posteriormente analisada quanto ao número de hemócitos e frequência de micronúcleos. A análise estatística foi realizada por meio do Teste do 2 com α= 5%. Os resultados mostraram que moluscos irradiados com 55 e 60 Gy apresentaram um aumento do número de hemócitos, quando comparado com os demais grupos experimentais. Já os animais expostos as doses de 35, 40, 45 e 50 Gy mostraram uma diminuição da quantidade destas células nas lâminas observadas. Quantitativamente os hemócitos não apresentaram um comportamento dose-dependente e que as diferenças não são estatisticamente significativas nas doses estudas, para o teste do 2, já na comparação individual de cada dose com o controle houve diferença estatisticamente significativa. Pode-se concluir que a análise de micronúcleos é mais rápida que a de aberrações cromossômicas instáveis, o que sugere sua utilização numa avaliação preliminar em casos de suspeita de exposição à radiação ionizante.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/10113
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Tecnologias Energéticas e Nucleares

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação Edvaldo Florêncio de Araújo Filho.pdf1,02 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons