Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8605
Título: Prevalência, demandas ambulatoriais e hospitalização por diarréia em crianças, segundo variáveis nutricionais e fatores sócioambientais, no estado de Pernambuco
Autor(es): VASCONCELOS, Maria Josemere de Oliveira Borba
Palavras-chave: Diarréias em crianças; Prevalência; Consultas médicas e hospitalização; Fatores de risco
Data do documento: 2006
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Josemere de Oliveira Borba Vasconcelos, Maria; Batista Filho, Malaquias. Prevalência, demandas ambulatoriais e hospitalização por diarréia em crianças, segundo variáveis nutricionais e fatores sócioambientais, no estado de Pernambuco. 2006. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Nutrição, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2006.
Resumo: O estudo objetivou descrever e analisar a ocorrência das doenças diarréicas em menores de cinco anos, no Estado de Pernambuco e sua participação na demanda dos serviços de saúde, considerando sua possível associação com as condições nutricionais e sócioambientais. Foram utilizados os dados coletados pela II Pesquisa Estadual de Saúde e Nutrição (II PESN), realizada em 1997. O estudo envolveu uma amostra de 2.078 crianças, através de amostra probabilística descrevendo-se a prevalência de diarréia nos últimos 15 dias, as consultas ambulatoriais pelo médico nos últimos três meses e hospitalizações nos 12 meses antecedentes à entrevista. Em seqüência, realizou-se a análise da associação com os possíveis fatores de risco. Por fim, aplicou-se a análise multivariada, através da regressão logística, para excluir possíveis efeitos de colinearidade. Os resultados obtidos mostraram uma prevalência de 19,8% de diarréia, distribuídas em três estratos geográficos do Estado de Pernambuco. No modelo final explicativo permaneceram como fatores de risco: a idade da criança (menor de 2 anos), o tipo de teto (telha e outros) e maior número de pessoas, por cômodo, na residência, e a falta de geladeira. Em relação à consulta ambulatorial, em termos numéricos, as diarréias figuram como o quarto maior grupo de causas no Estado. O modelo estatístico de predição de consultas por diarréia foi representado pela idade das crianças, a existência de rádio e o estado de nutrição pelo índice altura / idade. Por fim, a diarréia contribuiu com um quarto das hospitalizações infantis do Estado, estando as condições deficientes de esgotamento sanitário relacionadas ao maior risco destas ocorrências. A prevalência de diarréia em crianças, no Estado de Pernambuco, apresenta marcantes diferenciações de caráter geográfico, com maior prevalência no interior urbano, bem como em relação aos fatores de risco, às demandas ambulatoriais e hospitalares e às variáveis associadas à sua ocorrência. Recomenda-se a realização de pesquisas prospectivas, cobrindo principalmente os dois primeiros anos de vida, com o propósito de documentar a incidência de casos em função dos fatores de risco identificados no presente estudo ou em outros que venham a ser considerados
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8605
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Nutrição

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo8556_1.pdf4,69 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.