Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8513
Título: Consumo alimentar e risco de doença cardiovascular em universitários
Autor(es): de Moraes Vasconcelos Petribú, Marina
Palavras-chave: Consumo Alimentar; Doenças Cardiovasculares: Universitários
Data do documento: 31-Jan-2008
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: de Moraes Vasconcelos Petribú, Marina; Kruse Grande de Arruda, Ilma. Consumo alimentar e risco de doença cardiovascular em universitários. 2008. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Nutrição, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2008.
Resumo: As doenças cardiovasculares representam a principal causa de mortalidade no Brasil desde os anos 60. A alimentação desempenha um papel de destaque dentre os fatores etiológicos responsáveis por essas doenças. O objetivo desse estudo foi o de avaliar o consumo de alimentos e de nutrientes de risco e proteção cardiovascular em estudantes da área de saúde da Universidade Federal de Pernambuco, sendo os resultados apresentados na forma de artigos de divulgação científica. Foram elaborados três artigos originais, abordando os aspectos demográficos, sócio-econômicos, antropométricos e dietéticos desses alunos, bem como a associação desses fatores com o risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares. O delineamento metodológico foi do tipo transversal, com base no modelo epidemiológico descritivo. Os resultados evidenciaram 41,7% de sedentarismo, 35,5% e 5,3% de excesso de peso nos sexos masculino e feminino, respectivamente (p<0,0001). Mais de 40% dos estudantes apresentaram consumo de colesterol acima do recomendado e 17,9% dos homens e 44,8% das mulheres um elevado consumo de gordura saturada (p<0,0001). Por outro lado, mais de 90% dos indivíduos estudados apresentaram insuficiente consumo de ácido linoléico, ácidos graxos monoinsaturados, poliinsaturados e fibras. Quanto aos micronutrientes, em ambos os sexos, foi observado uma alta prevalência de inadequação do consumo de ácido fólico (próximo a 100%), zinco (maior que 50%), vitamina A (em torno de 37%) e vitamina C (próximo a 30%), além de uma prevalência de 54,8% de homens e 82,9% de mulheres com consumo de cálcio inferior à Ingestão Adequada (AI) (p<0,0001). A alta prevalência de fatores de risco cardiovasculares representa uma advertência, dada a juventude da população considerada, e mostra a necessidade de insistir em medidas educativas e de promoção de condutas preventivas.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8513
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Nutrição

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo4044_1.pdf535,27 kBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.